Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

consumo

Notícia da edição impressa de 18/01/2018. Alterada em 17/01 às 21h27min

Demanda do consumidor por crédito tem maior alta desde 2011

A quantidade de pessoas que buscou crédito aumentou 4,9% em 2017, o melhor resultado dos últimos seis anos e o quarto melhor de toda série histórica, iniciada em 2008, segundo a Serasa Experian. O crescimento da renda real determinada pelo recuo acentuado da inflação, a recuperação gradativa dos níveis de confiança dos consumidores e a contínua retração da taxa de juros em conjunto com o aumento da oferta de crédito explicam a alta da demanda do consumidor por crédito em 2017, especialmente para a população de baixa renda, destacam os economistas da Serasa.
Em 2017, a procura por crédito cresceu 15,2% para quem recebe até R$ 500,00 por mês, 4,6% para quem ganha entre R$ 500,00 e R$ 1 mil mensais, e 3,2% para aqueles que recebem entre R$ 1 mil e R$ 2 mil. Já entre aqueles que têm salário de R$ 2 mil a 5 mil, a demanda por crédito aumentou 3,6%, e, entre os consumidores que recebem de R$ 5 mil a R$ 10 mil, subiu 4,1%. Para quem ganha mais de R$ 10 mil, a expansão foi de 4,4%.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia