Porto Alegre, segunda-feira, 16 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Energia

15/01/2018 - 15h21min. Alterada em 15/01 às 15h21min

Com excesso de chuva, Itaipu abre as três calhas da usina

Escoamento atingiu quase quatro vezes a vazão normal das Cataratas do Iguaçu

Escoamento atingiu quase quatro vezes a vazão normal das Cataratas do Iguaçu


ALEXANDRE MARCHETTI/ITAIPU BINACIONAL/ARQUIVO/DIVULGAÇÃO/JC
A usina de Itaipu abriu simultaneamente neste domingo (14) as três calhas do vertedouro para escoar o excedente de água não utilizada na geração de energia. Há mais de um ano as 14 comportas da usina não eram abertas ao mesmo tempo. A última vez havia sido em junho de 2016. O escoamento atingiu mais de 5,8 mil metros cúbicos de água por segundo, quase quatro vezes mais do que a vazão normal das Cataratas do Iguaçu.
A usina de Itaipu abriu simultaneamente neste domingo (14) as três calhas do vertedouro para escoar o excedente de água não utilizada na geração de energia. Há mais de um ano as 14 comportas da usina não eram abertas ao mesmo tempo. A última vez havia sido em junho de 2016. O escoamento atingiu mais de 5,8 mil metros cúbicos de água por segundo, quase quatro vezes mais do que a vazão normal das Cataratas do Iguaçu.
A medida operacional para equilibrar a vazão decorre sobretudo do excesso de chuvas na bacia do Rio Paraná, acima da hidrelétrica, e também na área do reservatório. Por enquanto, não há previsão de alagamentos nas áreas ribeirinhas, segundo a operadora.
Nos 14 dias do mês, Itaipu produziu 4.181.704 megawatts-hora (MWh) ante 3.862.829 MWh no mesmo período do ano passado. Comparado a 2016, quando a produção foi recorde, o volume gerado no mesmo período deste ano já é quase 9% maior, de acordo com a operadora. A usina fechou 2017 com a quarta maior marca em 33 anos de operação e registrou 96.387.357 de MWh de produção.
A abertura das calhas também é um atrativo à parte para quem visita Itaipu. Levantamento feito pelos gestores nas margens brasileira e paraguaia da usina mostrou número recorde de visitantes. No ano passado, 979.946 visitantes estiveram na hidrelétrica, número 2,6% maior em relação à maior marca anterior, de 955.397, registrada em 2016.