Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 08/01 às 19h18min

Ibovespa fecha em alta pela 11ª sessão consecutiva

Após operar preponderantemente no negativo nesta segunda-feira (8), no final da tarde o Ibovespa inverteu o sinal e renovou máximas intraday fechando em alta pelo 11º pregão consecutivo. É a primeira vez desde julho de 2010 que o índice tem essa sequência de dias positivos. O principal índice da bolsa brasileira fechou aos 79.378,53 pontos, com valorização de 0,39%.
De acordo com analistas, o apetite do investidor estrangeiro na ponta compradora segue como fiel da balança para o tom e volume positivo aos negócios. Hoje o giro financeiro foi de R$ 7,48 bilhões, um pouco abaixo do encerramento da semana passada, mas ainda assim significativo para meses de janeiro.
Para Carlos Soares, analista da Magliano Corretora, somada ao fluxo dos investidores não-residentes, a notícia de que o governo vai adiar os estudos sobre a regra de ouro ajudou a sustentar a virada da bolsa para o campo positivo. Na sua avaliação, a comunicação da equipe econômica acabou por afastar, ao menos por agora, a incerteza de como as agências de rating poderiam avaliar essas mudanças e seus reflexos do ponto de vista fiscal.
Já para Rafael Figueredo, analista e sócio da Eleven Financial, a questão da regra de ouro não tem interferência no curto prazo. "A equipe econômica tem crédito com o mercado e não faz sentido estudar alternativas para 2019, uma vez que será um novo governo, com uma nova equipe econômica e outras regras", afirma, ressaltando que o pano de fundo para a alta do Ibovespa segue sendo as perspectivas de crescimento maior da economia global e, na esteira, a valorização de commodities.
No pregão desta segunda, as ações da Vale subiram apoiadas na valorização do minério de ferro nos portos da China e fecharam o dia em alta de mais de 2,22%. No caso das ações da Petrobras, que por dias consecutivos seguem valorizadas, Soares lembra que os motivos estão mais ligados às notícias corporativas, com melhora dos níveis de governança, do que alinhados com os futuros do petróleo, muito embora nesta segunda houvesse sintonia. As ações ON da petroleira encerraram a sessão com ganhos em torno de 1,5%.
O Ibovespa ainda encontra algum suporte na percepção melhor da economia e falta de um argumento forte para uma realização de lucros mais intensa. "As quedas são muito leves, está tudo muito lento", notou Luiz Mariano De Rosa, especialista em renda variável da Improve.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia