Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Contas Públicas

Notícia da edição impressa de 05/01/2018. Alterada em 04/01 às 21h20min

Empréstimos do Bndes para infraestrutura sobem 26%

Apesar da recessão, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) contratou R$ 19,45 bilhões em novos financiamentos para o setor de infraestrutura em 2017, uma alta nominal de 26% ante o valor total de 2016. O destaque foram os projetos da Área de Energia, cujos novos contratos somaram R$ 15,46 bilhões no ano passado, quase o dobro de 2016.
"O que aconteceu foi que, no setor de energia, tivemos leiloes mais regulares, e, com isso, esse pipeline (de empréstimos) foi alimentado", afirmou Marilene Ramos, diretora das áreas de infraestrutura do Bndes.
Ainda apostando na demanda gerada pelos leilões de energia de 2016 e 2017, o Bndes projeta que as contratações de novos financiamentos para o setor de infraestrutura somarão R$ 54 bilhões em 2018 e 2019. O valor para 2018 deverá ficar acima de R$ 30 bilhões, disse Marilene.
Segundo a diretora, a projeção está garantida, mesmo se o Bndes devolver todos os R$ 130 bilhões da dívida com o Tesouro Nacional, conforme o pedido feito pelo Ministério da Fazenda no ano passado. "Acreditamos que o Bndes tem condição de ter o funding necessário para atender a essa demanda", afirmou Marilene, completando que a projeção não é ameaçada pela necessidade de devolver recursos "pelas condições de captação que o banco tem".
Os R$ 54 bilhões em novos empréstimos previstos para 2018 e 2019 estão baseados no conjunto de pedidos de financiamento em análise pelo Bndes. Ao citar exemplos, a superintendente da Área de Saneamento e Transportes, Luciene Machado, citou o plano de investimentos 2015-2019 da Rumo Logística, que está em "fase final de análise". Segundo a executiva, a empresa deverá tomar de R$ 2 bilhões a R$ 2,5 bilhões junto ao Bndes para financiar o plano.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia