Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Varejo

Alterada em 04/01 às 13h46min

Vendas no varejo crescem 2,3% em novembro, revela Mastercard

No mês da Black Friday, comércio eletrônico teve alta de 28,3%

No mês da Black Friday, comércio eletrônico teve alta de 28,3%


FREDY VIEIRA/ARQUIVO/JC
As vendas no varejo brasileiro, excluindo material de construção e automóveis, cresceram 2,3% em novembro de 2017 na comparação com igual mês do ano anterior, de acordo com o indicador da Mastercard, o SpendingPulse. Esse é o sétimo mês de expansão nas vendas, destaca a empresa em nota.
Entre os setores, supermercados, artigos farmacêuticos e móveis e eletrodomésticos tiveram crescimento acima do indicador geral, enquanto os setores de uso pessoal e doméstico, vestuário e combustíveis ficaram aquém do avanço de 2,3% registrado para o comércio varejista.
No mês da Black Friday, o comércio eletrônico teve alta de 28,3%. Nesse canal, os destaques foram móveis e vestuário. Só no final de semana da Black Friday (sexta-feira a domingo, dias 24 a 26 de novembro), as vendas subiram 29,5% frente ao mesmo período de 2016, impactando positivamente os números do mês.
Por regiões, o melhor desempenho foi do Sul do País (3,7%), seguido por Norte (3%) e Sudeste (2,7%). O Nordeste teve resultado inferior ao da média nacional (0,6%). Já o centro-oeste observou recuo nas vendas, de 0,7%.
"No atual cenário econômico brasileiro observamos uma ligeira queda no desemprego, apesar de ainda estar em um patamar elevado, o consumidor está mais otimista e confiante com o mercado, refletindo uma perspectiva positiva para o varejista, principalmente no comércio eletrônico. O crescimento expressivo do e-commerce em 2017 tem mostrado este bom momento para o canal.", avalia César Fukushima, economista-chefe da Mastercard Advisors no Brasil.
O relatório mensal do Spending Pulse é baseado nas atividades de vendas na rede de pagamentos Mastercard, juntamente com as estimativas para todas as outras formas de pagamento, incluindo dinheiro e cheque.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia