Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 18/01/2018. Alterada em 18/01 às 00h16min

Freeway

Em relação ao comentário da leitora Nádia Antunes, publicado na coluna Palavra do Leitor, edição do Jornal do Comércio de 16/01/2018, a Triunfo Concepa ressalta que atua de diversas maneiras para minimizar congestionamentos na rodovia freeway: divulgação dos melhores horários para viajar, liberação do acostamento como faixa adicional, além de disponibilizar diversos canais de comunicação com informações sobre as condições do tráfego em tempo real para que o motorista possa programar melhor sua viagem. Entretanto, a grande concentração de veículos em um mesmo horário causa sim pontos de lentidão. Sobre as luminárias, já foi feita uma vistoria e está sendo dado andamento para os reparos necessários. Vistorias rotineiras nos postes de iluminação são feitas em todo o trajeto da rodovia. (Ana Paula Rocha, coordenadora de Comunicação, Triunfo Concepa)
Democracia
A democracia, regime inerente à condição humana, único que permite liberdade de expressão até para quem pretenda destruí-la! Às vezes ocorre, pessoas ideologicamente comprometidas com regimes ditatoriais invocam-na para sustentar suas ambições. Quer dizer, utilizam-na para, em chegando ao poder, implantar regime antagônico. A reflexão singela nos remete a valorizá-la, estimulando a defesa contra todo e qualquer malfeitor. Viver em liberdade, construindo-se como ser humano, afirmando ou contrariando posições, legítimo caminho reservado aos seres pensantes saudáveis. (Jorge Lisbôa Goelzer, advogado, Erechim/RS)
Editorial
Oportuno o editorial do Jornal do Comércio, edição de 11/01/2018. No entanto, penso que devemos ir muito além. É de todos sabido que a fonte (ilegal) dos depósitos judiciais de terceiros praticamente secou. O Estado já sacou 94% desses depósitos de, aproximadamente, R$ 11 bilhões. No último governo, além do saque de uns R$ 5 bilhões, o aumento das contas a pagar deixadas (ilegalmente) para o governo atual foi de mais de R$ 1,5 bilhão. Não há mais saídas mágicas, o próprio governador José Ivo Sartori (PMDB) reconheceu essa realidade na mensagem que acompanhou o Projeto da Lei Orçamentária de 2018 (LOA 2018). O orçamento enviado e aprovado pela Assembleia prevê um déficit de R$ 7 bilhões! Para cobrir esse rombo uma rubrica mágica: Receitas Correntes Extraordinárias. A naturalidade com que foi aceito esse déficit é impressionante. A imprensa em geral deu pouca importância. Para o empresariado e suas organizações o orçamento é uma peça burocrática que não lhes interessa. Posso estar exagerando, mas se nada for feito, a Assembleia poderá negar a adesão ao socorro da União por obra dos próprios deputados que votaram o orçamento. E, na rejeição do socorro, a situação do Estado será caótica. (Antonio A. dAvila)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Freeway - Jornal do Comércio
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 18/01/2018. Alterada em 18/01 às 00h16min

Freeway

Em relação ao comentário da leitora Nádia Antunes, publicado na coluna Palavra do Leitor, edição do Jornal do Comércio de 16/01/2018, a Triunfo Concepa ressalta que atua de diversas maneiras para minimizar congestionamentos na rodovia freeway: divulgação dos melhores horários para viajar, liberação do acostamento como faixa adicional, além de disponibilizar diversos canais de comunicação com informações sobre as condições do tráfego em tempo real para que o motorista possa programar melhor sua viagem. Entretanto, a grande concentração de veículos em um mesmo horário causa sim pontos de lentidão. Sobre as luminárias, já foi feita uma vistoria e está sendo dado andamento para os reparos necessários. Vistorias rotineiras nos postes de iluminação são feitas em todo o trajeto da rodovia. (Ana Paula Rocha, coordenadora de Comunicação, Triunfo Concepa)
Democracia
A democracia, regime inerente à condição humana, único que permite liberdade de expressão até para quem pretenda destruí-la! Às vezes ocorre, pessoas ideologicamente comprometidas com regimes ditatoriais invocam-na para sustentar suas ambições. Quer dizer, utilizam-na para, em chegando ao poder, implantar regime antagônico. A reflexão singela nos remete a valorizá-la, estimulando a defesa contra todo e qualquer malfeitor. Viver em liberdade, construindo-se como ser humano, afirmando ou contrariando posições, legítimo caminho reservado aos seres pensantes saudáveis. (Jorge Lisbôa Goelzer, advogado, Erechim/RS)
Editorial
Oportuno o editorial do Jornal do Comércio, edição de 11/01/2018. No entanto, penso que devemos ir muito além. É de todos sabido que a fonte (ilegal) dos depósitos judiciais de terceiros praticamente secou. O Estado já sacou 94% desses depósitos de, aproximadamente, R$ 11 bilhões. No último governo, além do saque de uns R$ 5 bilhões, o aumento das contas a pagar deixadas (ilegalmente) para o governo atual foi de mais de R$ 1,5 bilhão. Não há mais saídas mágicas, o próprio governador José Ivo Sartori (PMDB) reconheceu essa realidade na mensagem que acompanhou o Projeto da Lei Orçamentária de 2018 (LOA 2018). O orçamento enviado e aprovado pela Assembleia prevê um déficit de R$ 7 bilhões! Para cobrir esse rombo uma rubrica mágica: Receitas Correntes Extraordinárias. A naturalidade com que foi aceito esse déficit é impressionante. A imprensa em geral deu pouca importância. Para o empresariado e suas organizações o orçamento é uma peça burocrática que não lhes interessa. Posso estar exagerando, mas se nada for feito, a Assembleia poderá negar a adesão ao socorro da União por obra dos próprios deputados que votaram o orçamento. E, na rejeição do socorro, a situação do Estado será caótica. (Antonio A. dAvila)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia