Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 05/01/2018. Alterada em 04/01 às 21h35min

Freeway

Em relação ao comentário do leitor Nelson Carneiro, publicado na coluna Palavra do Leitor, edição do Jornal do Comércio de 03/01/2018, a Triunfo Concepa informa que o tempo de atendimento médio para auxílio mecânico no trecho concedido é de 10 minutos, ou seja, o usuário aguarda por pouco tempo nos refúgios. Esta foi a média de atendimento registrada até mesmo no feriado de Ano-Novo, quando houve recorde de tráfego e quando a concessionária atendeu a cerca de 2 mil ocorrências na freeway. Embora o contrato de concessão não preveja iluminação nos refúgios, ressaltamos que há iluminação na rodovia em toda extensão da quarta faixa da freeway (do km 96 ao 74), além de todas as interseções do trecho concedido. (Ana Paula da Rocha, coordenadora de Comunicação, Triunfo/Concepa)
Freeway II
Quanto ao comentário da leitora Marilena Herbert, publicado na coluna Palavra do Leitor, edição do Jornal do Comércio de 03/01/2018, a Triunfo Concepa salienta que na freeway, além dos banheiros junto às praças de pedágio de Gravataí e de Santo Antônio da Patrulha, há a opção do posto Rota 80, no sentido Litoral, em Gravataí, e de outros seis postos de gasolina nas proximidades da rodovia: km 0, 26, 53, 75, 86 e 92. Quanto à sugestão de instalação de banheiros químicos nos refúgios, esses locais não foram projetados com essa finalidade: além de diminuir o espaço físico destinado aos atendimentos, não é seguro para o usuário. Cabe destacar que é perigoso e proibido permanecer no acostamento, se não em situações de emergência mecânica ou médica. (Ana Paula da Rocha, coordenadora de Comunicação, Triunfo/Concepa)
Impostos incômodos
Que me perdoem os administradores e os funcionários públicos (estáveis), mas não consigo pagar impostos adiantado. Primeiro, porque o pequeno desconto se dilui tanto pela inflação quanto pela economia de trabalho na redução de 10 para um só pagamento. Segundo e talvez mais importante que o primeiro motivo, chega a ser muita coragem cobrar o pagamento tão antecipado para um retorno de tão baixa qualidade. No IPVA, por exemplo, paga-se caro para se poder transitar por estradas perigosas e ruas esburacadas, pois nem a conservação adequada é executada, quanto mais a ampliação de quilometragem na proporção do aumento da frota. No IPTU de Porto Alegre, a situação tem contorno de horror. Cidade suja, mal iluminada e com ruas e praças mal conservadas. Sem lembrar o direito de ir e vir da cidadania tolhido eventualmente por manifestantes, permanentemente pela ameaça de assalto, pelos vendedores de tudo e pelos marginais. Como se dizia não faz muito tempo: assim não dá para ser feliz. (Sérgio Becker, Porto Alegre)
Petrobras
Executivos e políticos corruptos enriqueceram roubando da Petrobras, fazendo com que agora os cidadãos comuns, os honestos, sejam penalizados pelos prejuízos da estatal pagando elevados valores pelos seus produtos combustíveis e gás de cozinha. (Roberto Fissmer, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia