Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Vinicius Ferlauto

Giro Rápido

Notícia da edição impressa de 01/02/2018. Alterada em 01/02 às 13h19min

Recorde de recalls

Os recalls de veículos bateram recorde no Brasil em 2017, somando 128 chamados, contra os 122 de 2016 - número que já havia sido um marco histórico. Os dados são do Procon de São Paulo. No consolidado, 1.965.253 veículos foram chamados para algum reparo por defeito grave no ano passado, superando com folga os 1,66 milhão do ano anterior. Em cerca de 43% desses casos (ou 846 mil unidades), a falha se relacionava aos air bags. A Mercedes-Benz foi a marca que mais promoveu recalls em 2017, com 19 no total (incluindo caminhões), a Fiat aparece em segundo lugar, com 11, seguida da Ford, com 10.
Boas notícias
A MAN Latin America, responsável pelas marcas Volkswagen Caminhões e Ônibus e MAN, ultrapassou o volume de 900 mil veículos produzidos, desde a criação da empresa, em 1981. A fábrica de Resende (RJ) responde por grande parte desse volume: do total, mais de 750 mil caminhões e ônibus foram montados lá. A linha de caminhões e ônibus Volkswagen está em meio a um ciclo de investimentos no valor de R$ 1,5 bilhão, o maior na história da marca. Outra notícia positiva para a MAN Latin America é a expansão de sua atuação na América Central, com a entrega dos primeiros caminhões Volkswagen na Nicarágua, que serão utilizados na colheita de cana-de-açúcar.
Acima do mercado
Contabilizando a venda de 1.215 veículos em 2017, perfazendo crescimento de 19,94% em relação às 1.013 unidades registradas no ano anterior, a Volare ampliou a sua liderança no mercado brasileiro de micro-ônibus, atingindo participação de 52,7%. O desempenho superou a média do setor, que foi de 14%. O aumento da demanda, segundo a Volare, veio da maior aplicação dos veículos nos segmentos de fretamento e turismo. Já as exportações da empresa caíram na comparação 2017/2016: 370 contra 430 unidades.
Estratégia corporativa
Com a aquisição das ações da locadora Sixt na DriveNow, serviço de compartilhamento de veículos premium fundado em 2011 como joint venture, o BMW Group torna-se proprietário integral da DriveNow. O serviço é usado por mais de um milhão de clientes em 13 cidades europeias e reúne frota de mais de seis mil modelos das marcas BMW e Mini. O aumento dos serviços de mobilidade constitui uma das prioridades da estratégia corporativa do BMW Group.
Grupo de mobilidade
A Ford divulgou importantes ações no seu grupo de mobilidade para acelerar a entrega de produtos e serviços nessa área. A estratégia de mobilidade da empresa consiste de uma ampla gama de produtos e serviços que aprimorem todos os níveis do sistema de transporte - veículos, infraestrutura, conectividade e soluções digitais - para aliviar os congestionamentos nas cidades e ajudar as pessoas a se mover com mais liberdade na "Cidade do Amanhã".
Eletrificação para pesados
A Scania anunciou, na Europa, mais um passo em direção ao transporte sustentável, desta vez com foco em eletrificação. Em parceria com a Northvolt, e com investimentos na ordem de € 10 milhões, a fabricante sueca avança no desenvolvimento de tecnologia de células de bateria para veículos pesados. As companhias estabelecerão uma equipe de especialistas e juntas trabalharão na instalação de uma área de pesquisa para desenvolver e comercializar as células de bateria otimizadas para a alimentação de veículos comerciais. A produção de células de bateria requer uma grande quantidade de eletricidade, e a Suécia oferece um consolidado fornecimento de energia verde. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia