Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

reforma da previdência

27/12/2017 - 15h38min. Alterada em 27/12 às 15h44min

Temer diz que reforma da Previdência evita 'medidas radicais' no futuro

Temer fez alerta em viagem para assinar decreto que cria a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Açu,do decreto que cria a ZPE do Açu, no Rio

Temer fez alerta em viagem para assinar decreto que cria a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Açu,do decreto que cria a ZPE do Açu, no Rio


Alan Santos/PR/Divulgação/JC
O presidente Michel Temer voltou a defender a reforma da Previdência durante solenidade no Porto de Açu, no litoral norte do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (27). Segundo o presidente, se a reforma da Previdência não for aprovada agora, não haverá um candidato nas próximas eleições que não terá que tocar no assunto.
Temer argumentou que, em tese, ninguém terá prejuízo com a reforma e que a intenção do governo é evitar medidas mais radicais no futuro. O presidente enumerou mais uma vez os feitos de seu mandato, como a reforma do Ensino Médio e a aprovação do teto dos gastos públicos. Segundo ele, logo depois da Previdência, o governo fará a simplificação tributária no País, fechando o "ciclo reformista". "Se não tivéssemos autoridade, não tínhamos feito o que fizemos em 18 meses", disse ele.
O presidente participou da cerimônia de assinatura do decreto que cria a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Açu, localizada no Distrito Industrial de São João da Barra, litoral norte do Rio de Janeiro. Participaram da comitiva do presidente o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira, e o governador do Estado do Rio Janeiro, Luiz Fernando Pezão.
Tanto Pezão quanto Moreira Franco também defenderam a necessidade de aprovação da reforma da Previdência, ressaltando a necessidade de equilibrar as contas de governos estaduais. "É impossível atravessar essa crise sem discutir a reforma da Previdência. Nenhum candidato vai passar próximas eleições sem discutir esse tema", declarou Pezão. "Esse é o grande problema do País", completou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia