Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 24 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

stf

24/12/2017 - 12h51min. Alterada em 24/12 às 13h04min

Gilmar Mendes pede investigação sobre suposta acusação de corrupção

Ministro solicitou instauração de processo para investigar acusação contra ele

Ministro solicitou instauração de processo para investigar acusação contra ele


CARLOS MOURA/SCO/STF/JC
Agência Brasil
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, solicitou que o diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, instaure processo para investigar acusação de corrupção feita contra ele.
Em áudio que circulou neste sábado (23), por meio de redes sociais, um homem que se apresenta como juiz que acompanha o processo envolvendo o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho critica a decisão de Gilmar Mendes de liberar Garotinho e o presidente do PR, Antônio Carlos Rodrigues, presos por determinação do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ). O autor do áudio diz que "a mala foi grande", insinuando que o ministro teria recebido dinheiro em troca da decisão.
Em nota, a assessoria do ministro afirma que no áudio "são feitas graves acusações caluniosas à sua pessoa e às recentes decisões" e que "o ministro Gilmar reitera que suas decisões são pautadas pelo respeito às leis e à Constituição Federal". O ministro também pediu que o Corregedor Nacional de Justiça, ministro João Otávio Noronha, tome providências em relação à situação, e informou o fato ao presidente e ao corregedor do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Claudio de Mello Tavares, segundo o comunicado.
O ex-governador do Rio Anthony Garotinho é acusado de corrupção e compra de voto. No áudio, o homem também relata que tem recebido ameaças. "Vocês não sabem da missa a metade do que eu estou passando aqui em Campos [dos Goytacazes, cidade do Rio]" por fazer "um trabalho sério", diz, acrescentando que a situação é desanimadora.
A Agência Brasil procurou o juiz a quem é atribuído o áudio, mas até a publicação desta reportagem não conseguiu contato.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia