Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Justiça

Notícia da edição impressa de 13/12/2017. Alterada em 12/12 às 22h58min

Cesare Battisti vira réu por evasão de divisas

A Justiça Federal de Campo Grande recebeu denúncia criminal e abriu ação penal contra o italiano Cesare Battisti, de 62 anos, por evasão de divisas. Em 4 de outubro, Battisti foi flagrado pela Polícia Rodoviária Federal e pela Polícia Federal tentando atravessar a fronteira do País, na região do Mato Grosso do Sul, com a Bolívia, levando em dinheiro vivo US$ 6 mil e mais 1.300 euros, totalizando R$ 23,5 mil pela cotação do dia.
Na ocasião, o juiz Odilon Oliveira, da 3ª Vara Federal de Campo Grande, converteu o flagrante em prisão preventiva, mas o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) acolheu pedido de habeas corpus da defesa do italiano - promovida pelos criminalistas Igor Tamasauskas e Otávio Mazieiro, do Bottini e Tamasauskas Advogados - e revogou a ordem, mediante algumas condições, como uso de tornozeleira eletrônica.
Agora, a Justiça recebeu a denúncia e negou a Battisti o pedido de instalar a tornozeleira em São Paulo, onde reside. Ele terá mesmo de comparecer à Justiça Federal de Campo Grande para colocação do equipamento.
Battisti está condenado na Itália à prisão perpétua por terrorismo, segundo a acusação.
Ele vive no Brasil beneficiado por um decreto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, no último dia de seu segundo mandato, em 2010, negou à Itália o pedido de extradição.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia