Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

Reforma da Previdência

Alterada em 04/12 às 16h39min

Governo contabiliza ter cerca de 325 votos favoráveis à reforma, diz Maia

Maia se disse pessimista sobre reforma até sábado, mas que ficou 'realista' após reuniões do domingo

Maia se disse pessimista sobre reforma até sábado, mas que ficou 'realista' após reuniões do domingo


ALEX FERREIRA/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), declarou nesta segunda-feira (4) que o governo contabiliza ter, entre os partidos da base aliada, cerca de 325 votos favoráveis à reforma da Previdência, que pode ser votada já na próxima semana. Nas contas do presidente da Câmara, existem ainda outros 45 a 50 deputados que não integram nem a oposição nem a base aliada, e que podem ser trabalhados pelo governo até lá.
"O governo precisa trabalhar a base e esses (outros) partidos para que a gente possa chegar na votação com um número parecido com 330 e poder ir a Plenário", disse Maia, que participou de um evento da Central Brasileiro do Setor de Serviços (Cebrasse), na zona sul da capital paulista.
"É a última chance desse ano votar na próxima semana, se conseguirmos os números", acrescentou o parlamentar, ponderando que, caso não seja possível a votação ainda em 2017, o tema deve voltar no ano que vem. Maia disse que estava pessimista em relação à votação da Previdência até sábado, mas que ficou "realista" após as reuniões do domingo.
"Não dá ainda para ser otimista. Mas acho que temos um caminho para chegar à votação. Não há reforma da Previdência sem comprometimento claro do governo e o presidente Temer em nenhum momento falhou nessa pauta. Ontem ele provou isso", disse Maia.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia