Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 01 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 02/01/2018. Alterada em 01/01 às 19h17min

Contribuição Sindical

Henry Chmelnitsky
Estamos passando por um importante momento de transição em nosso País. Com a reforma trabalhista em vigência desde o dia 11 de novembro de 2017, o processo de adaptação das empresas está cada vez mais intenso. É verdade, porém, que a modernização trouxe discussões sobre um dos impostos até então obrigatório aos sindicatos, o sindical. Principalmente pela politização exacerbada das opiniões, na qual as entidades foram colocadas como mais prejudiciais do que defensoras de direitos e deveres das categorias. Contudo, é imprescindível lembrar que devemos separar o joio do trigo e entendermos o real significado de um sindicato.
Represento uma entidade que se preocupa com a categoria. Entendemos que a representatividade não se resume apenas em consultoria para manutenção de um negócio. O processo vai muito além. Ele se faz presente na negociação do piso do setor, na luta pelos direitos dos empresários e trabalhadores sobre temas vitais como a passagem do transporte público, a revisão da planta do IPTU, entre outros assuntos que o Sindha esteve diretamente envolvido, sempre defendo o interesse do segmento. Além de oferecer suporte jurídico e atualizar os aderentes sobre as movimentações do mercado e projeções do futuro. Somos incansáveis na busca pela excelência no atendimento qualificado e por isso investimos na educação, pois consideramos esta um pilar fundamental para transformar um cidadão e abrir portas para que ele tenha infinitas oportunidades. No entanto, por mais que a alteração torne a Contribuição Sindical facultativa, é importante frisarmos que o governo e até mesmo o mercado vão seguir se atualizando, aplicando reformas, aplicando mudanças, sejam elas boas e ruins. O cenário continua igual, as empresas continuam tendo a mesma necessidade de se ter uma entidade que as represente. São nestes momentos que se faz necessária a transparência e a luta do sindicato no progresso das empresas.
Presidente do Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia