Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 27/12/2017. Alterada em 26/12 às 21h22min

Solução a 8 milhões de trabalhadores

Ronaldo Nogueira
Mais de 8 milhões de trabalhadores que ainda tinham esperança de receber o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de empresas que não recolheram a contribuição têm agora uma nova chance de ter seus direitos honrados. Decisão aprovada pelo Conselho Curador do FGTS nesta terça-feira permite às empresas que não fizeram o recolhimento saldarem a dívida de forma parcelada. Embora fosse um compromisso que elas nunca deveriam ter deixado de cumprir, pelo menos agora os trabalhadores, que nada têm a ver com a situação, têm a possibilidade de reaver um dinheiro que é deles de direito, conquistado com dedicação às empresas em que trabalhavam.
Fico aliviado que a medida possa ajudar a solucionar um problema que infelizmente ainda ocorre e afeta milhões de trabalhadores. Sabemos que não é a solução ideal, porque o correto seria que todos cumprissem seu dever, mas ao menos os trabalhadores poderão ter um alívio nos próximos meses e começar a receber um dinheiro que muitos davam como perdido. Além de beneficiar os trabalhadores, a medida pode ajudar as empresas que não conseguiram cumprir compromissos em razão da crise econômica herdada por este governo. A economia está se recuperando, e os empregos estão voltando, mas ainda vivemos momento de dificuldade e precisamos ser sensíveis a isso. Precisamos ser responsáveis com os recursos do Fundo de Garantia.
É do FGTS que saem recursos para o financiamento habitacional e para infraestrutura em muitos municípios. Recursos que ajudam a construir o Brasil e a fortalecer a economia. Com a retomada dos empregos e o crescimento econômico do País, que situações como essa sejam cada vez mais coisas do passado. Nossas empresas tenham recursos para investir e criar mais e mais empregos, contribuindo para o FGTS e para o crescimento do País. Só assim o País oferecerá condições dignas aos trabalhadores e oportunidades para todos.
Ministro do Trabalho
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia