Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 30 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

egito

Alterada em 30/12 às 18h07min

Ex-presidente do Egito é condenado a três anos de prisão

Morsi, o primeiro presidente democraticamente eleito do Egito, foi deposto por militares em 2013

Morsi, o primeiro presidente democraticamente eleito do Egito, foi deposto por militares em 2013


KHALED DESOUKI/AFP/JC
Um tribunal do Egito condenou neste sábado (29) o ex-presidente do país Mohammed Morsi e mais 18 pessoas por insulta ao judiciário. A pena prevista é de três anos de prisão.
Entre os condenados está o proeminente ativista de direitos humanos Alaa Abdel-Fattah e o analista político Amr Hamzawy, que também terão de pagar uma multa de 30 mil libras egípcias (US$ 1.688,00).
Abdel-Fattah já cumpre pena de cinco anos desde 2013, por protestos ilegais. Já Hamzawy vive no exílio.
Os condenados podem entrar com pedido de recurso na Justiça.
Morsi, o primeiro presidente democraticamente eleito do Egito, foi deposto por militares em 2013. Desde então, tem sido acusado por diversos crimes, como espionagem e conspiração internacional.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia