Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Crise diplomática

Notícia da edição impressa de 26/12/2017. Alterada em 25/12 às 21h06min

China pede calma após Pyongyang chamar sanções de ato de guerra

O governo chinês pediu ontem à comunidade internacional que seja moderada e busque reduzir as tensões depois que a Coreia do Norte classificou as últimas sanções impostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) como "ato de guerra".
A porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Hua Chunying, disse que as nações precisam "exercitar o comedimento". Na sexta-feira, a ONU aprovou novas sanções contra a Coreia do Norte, pelo lançamento de um míssil balístico que Pyongyang alega ser capaz de atingir o território dos Estados Unidos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia