Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 19 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 20/12/2017. Alterada em 19/12 às 22h39min

China e Rússia criticam plano de segurança de Trump

China e Rússia criticaram ontem a nova estratégia de segurança nacional anunciada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O governo chinês atacou a decisão de Trump de rotular Pequim como "rival estratégico" e apelou a Washington para que "abandone a mentalidade de Guerra Fria" e aceite a ascensão da China.
Para a agência de notícias oficial chinesa Xinhua, o gesto de Trump reflete a "vitória da linha-dura" de seu governo, e as relações econômicas entre China e EUA deverão sofrer "ainda mais pressão e desafios". Já em Moscou, o Kremlin classificou a nova estratégia de Trump como "imperial", que mostra "aversão a um mundo multipolar". Por outro lado, o Kremlin elogiou os Estados Unidos pela disposição de cooperar com a Rússia em áreas de interesse em comum. A estratégia divulgada na segunda-feira acusa a Rússia de usar "medidas subversivas" para enfraquecer a credibilidade dos EUA e de governos europeus.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia