Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

Relações Internacionais

Alterada em 13/12 às 10h49min

Irã condena decisão de Trump de reconhecer Jerusalém como capital de Israel

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, afirmou nesta quarta-feira (13) que a única razão pela qual o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, "ousou" reconhecer Jerusalém como capital de Israel foi que algumas nações na região buscam estabelecer laços com Israel.
As declarações de Rouhani são dadas durante reunião extraordinária da Organização para a Cooperação Islâmica na Turquia, após a decisão de Trump. A fala é uma crítica à Arábia Saudita, após relatos de que o reino do Golfo buscaria uma cooperação mais próxima com os israelenses para conter a influência do Irã na região. Publicamente, a Arábia Saudita condenou a decisão de Trump.
Rouhani também disse que os EUA nunca foram um mediador honesto entre palestinos e israelenses. Segundo ele, Washington busca apenas "garantir ao máximo os interesses dos sionistas e não tem nenhum respeito pelos direitos legítimos dos palestinos".
O secretário-geral da Organização para a Cooperação Islâmica, Yousef bin Ahmad Al-Othaimeen, pediu a todos os países do grupo que não reconheceram a Palestina como um Estado que o façam. A autoridade qualificou a decisão dos EUA de reconhecer Jerusalém como "um desafio excepcional" às nações muçulmanas e que deve impulsionar a violência regional, ao dar aos extremistas uma desculpa para atacar. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia