Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Transportes

26/12/2017 - 19h49min. Alterada em 28/12 às 15h25min

Recarga do TRI com cartões pela internet fica para 2018 em Porto Alegre

ATP diz que mecanismo está em fase final de desenvolvimento e será implementado no início do ano

ATP diz que mecanismo está em fase final de desenvolvimento e será implementado no início do ano


CLAITON DORNELLES/JC
Paulo Egídio
O ano de 2017 vai terminar sem que os usuários do cartão TRI de transporte de ônibus em Porto Alegre possam fazer algo bem simples, que é a recarga pela internet usando sistema de pagamento digital. Prometida para março e reagendada para junho deste ano, a recarga com cartões de crédito e débito via digital ficou para 2018 e ainda sem data estipulada para implementação, segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP), que projetam agora para o começo do ano a funcionalidade.
Atualmente, é possível fazer a recarga via web, mas o pagamento depende de algumas condições, o que impede o crédito automático. É emitido boleto bancário, que, depois de ser pago, demora ainda quatro dias úteis para liberar os novos créditos. Apenas 390 mil das mais de 1,726 milhão de recargas do TRI realizadas de janeiro a novembro foram feitas pela internet, representando 22,6% das operações. A compra de passagens através dos cartões bancários foi uma das primeiras medidas anunciadas pelo governo municipal para o setor de transporte público.
O decreto, assinado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) e publicado no Diário Oficial de Porto Alegre em 16 de janeiro passado, dava prazo de 60 dias para que as empresas colocassem o serviço à disposição da população. Posteriormente, em maio, o diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, adiou para o mês seguinte a disponibilização da plataforma que, à época, estava na fase de testes de segurança. 
Passados nove meses do prazo inicial, as empresas de ônibus da Capital ainda não disponibilizaram o mecanismo aos usuários. Conforme a ATP, que gerencia a bilhetagem eletrônica e a compra de créditos para o TRI, o projeto ainda está em fase final de desenvolvimento. “Estão sendo feitos os últimos testes. Tendo êxito nessa fase, a meta é lançar o serviço no início de 2018”, afirma a entidade sem, no entanto, delimitar um prazo para a ativação.
A empresa pública informa que a associação dos transportadores finalizou a plataforma entre os meses de julho a setembro, mas que a implementação teria sido adiada por "fragilidades do sistema". "Em setembro, a associação combinou com a empresa contratada para o desenvolvimento que ela realizasse os ajustes necessários", garantiu a empresa pública que afirmou ainda, em nota, que "nas próximas semanas, o usuário deve ter disponível a compra pela internet, nas modalidades crédito e débito, e uma transação com mais qualidade, rapidez e segurança". 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia