Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Esportes

CORRIGIR

Futebol

Alterada em 21/12 às 12h12min

Brasil termina ano em 2º lugar no ranking da Fifa; Alemanha lidera

Na última atualização do ranking da Fifa neste ano, nenhuma alteração ocorreu entre entre as seleções do Top 30 e, desta maneira, o Brasil finalizou 2017 na segunda posição, atrás somente da Alemanha e à frente de Portugal, Argentina e Bélgica, que completam a lista das cinco primeiras colocadas.
A Alemanha termina como o "Time do Ano" após conquistar a Copa das Confederações e permanecer invicta nas quinze partidas disputadas em 2017. A seleção alemã se classificou para a Copa do Mundo com uma campanha perfeita, de dez vitórias em dez jogos nas Eliminatórias Europeias, e chega à Rússia como uma das favoritas para faturar o título.
Por sua vez, o Brasil perdeu um jogo amistoso contra a Argentina, mas manteve a invencibilidade em partidas oficiais, mesmo tendo enfrentado equipes como Colômbia, Uruguai e Bolívia fora de casa.
Em quarto lugar, a Argentina sofreu para se classificar para a Copa, mas conseguiu se manter no Top 5. Última seleção a aparecer no Top 10, o Chile foi vice da Copa das Confederações, mas não conseguiu a vaga no Mundial. A classificação ficou com o Peru, que vem logo atrás no ranking (11º).
Ao longo do ano, a seleção que ganhou mais posições foi a Dinamarca, que começou 2017 na 47ª posição, mas conseguiu uma longa série invicta (que incluiu a classificação para a Copa de 2018 após vencer a Irlanda na repescagem) e finaliza o ano na 12ª colocação.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia