Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 29/12/2017. Alterada em 28/12 às 22h17min

Chuvas beneficiam lavouras de soja e de milho no Rio Grande do Sul

Agricultores estão realizando tratamentos para controle de pragas

Agricultores estão realizando tratamentos para controle de pragas


/DEISE FROELICH/EMATER/DIVULGAÇÃO/JC
As lavouras de soja encontram-se nas fases de desenvolvimento vegetativo e floração, com bom stand, beneficiadas ultimamente pelas chuvas ocorridas nos dias 23 e 24 de dezembro, possibilitando a retomada do desenvolvimento das plantas. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater-RS/Ascar, nesta quinta-feira, o início do plantio nas áreas ocupadas até aqui com a cultura do milho está previsto para esta semana. Os produtores continuam realizando os tratamentos fitossanitários, como controle de pragas e ervas indesejáveis.
A cultura do milho também foi beneficiada com o retorno da umidade no solo, em razão das precipitações do último fim de semana, recuperando, assim, os sintomas de déficit hídrico. Mesmo assim, é inevitável a diminuição no potencial produtivo de áreas implantadas no final de setembro. A cultura encontra-se, majoritariamente, nas fases de floração, enchimento dos grãos, maturação e iniciando a colheita.
Nas áreas em desenvolvimento, o milho vem mantendo, ainda, bom padrão fitossanitário. A falta de umidade deste período deverá causar redução da produtividade em várias áreas de lavouras, pois se observam espigas com falhas de grãos e ausência no terço superior das mesmas. Mesmo com a restrição de chuvas da primeira quinzena de dezembro e com altas temperaturas ocorridas, grande parte das lavouras ainda tem condições de recuperação e de expressar boas produtividades, desde que as condições meteorológicas sejam adequadas no futuro próximo.
Produtores finalizaram o plantio do arroz na zona Sul, e foi intensificada a semeadura das lavouras na Campanha e Fronteira-Oeste, buscando recuperar o atraso ocorrido. Agora, resta apenas menos de 2% da área a ser finalizada. A fase predominante é de desenvolvimento vegetativo. As noites mais frias têm segurado o desenvolvimento vegetativo normal do cultivo, ocasionando stands de lavouras desuniformes. Algumas áreas precisam ser irrigadas para que ocorra a germinação. As lavouras semeadas mais cedo já estão recebendo aplicação de herbicidas, fertilizantes nitrogenados e irrigação. Reservatórios de água ainda estão com boa capacidade.
No Estado, a cultura do feijão 1ª safra encontra-se nas fases de enchimento de grãos, maturação e colheita. As áreas em evolução nas lavouras apresentam bom aspecto, porém vêm se ressentindo pela escassez de umidade. Os agricultores realizaram tratamento fitossanitário, aplicação de fungicida, inseticida e de adubação nitrogenada.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia