Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 22 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

gestão

Alterada em 22/12 às 16h22min

Justiça suspende homologação de Alcides Capoani como presidente do Crea-RS

Capoani havia sido eleito como presidente do Crea-RS com quase 1,9 mil votos

Capoani havia sido eleito como presidente do Crea-RS com quase 1,9 mil votos


JONATHAN HECKLER/JC
A justiça federal concedeu uma liminar ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Sul (Crea-RS) para imediata suspensão da homologação do engenheiro civil Luiz Alcides Capoani como presidente da entidade.
Segundo o pedido, Capoani seria "tecnicamente inelegível", pois teria débitos perante o próprio conselho, estando inclusive inscrito no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin). Além disso, o engenheiro teria sido condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) por prestações de contas irregulares, "fato que, por si só, impediria sua candidatura", diz o texto.
Conforme a decisão judicial, tomada pela juíza federal Maria Isabel Pezzi Klein, os impedimentos comprovados pelo Crea-RS deixam "evidente a possível inelegibilidade do candidato que padece de falhas incompatíveis com o exercício da Presidência da autarquia federal".
As eleições do órgão aconteceram no último dia 15, com votações para presidente do Crea-RS, Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e diretores da Mútua-RS, caixa de assistência das categorias que compõem o conselho. Capoani, que já havia sido presidente do Crea-RS por dois mandatos, de 2009 a 2011 e de 2012 a 2014, foi eleito para um novo mandato com 1.892 votos. Para o cargo de diretor-geral da Mútua-RS foi eleito Pablo Souto Palma, com 2.754 votos, e para diretor administrativo, venceu Luiz Claudio Ziulkoski recebeu 538 votos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia