Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

21/12/2017 - 15h37min. Alterada em 21/12 às 15h39min

Volume exportado aumenta, mas queda nos preços faz vendas gaúchas para o exterior caírem 11%

Soja em grão foi o destaque positivo da balança comercial gaúcha em novembro

Soja em grão foi o destaque positivo da balança comercial gaúcha em novembro


JONNE RORIZ/AE/JC
As exportações gaúchas registram queda de 11,2% em novembro de 2017 ante o mesmo mês de 2016. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (21) pela Fundação de Economia e Estatística (FEE), mesmo com o aumento no volume exportado (14,3%), a retração foi puxada pela queda nos preços (22,3%). Ao todo, as exportações do Estado somaram US$ 1,426 bilhão, garantindo ao RS o 3º lugar entre os maiores exportadores do País no mês passado, apresentando 8,55% das vendas externas nacionais, 1,36 p.p. a menos quando comparado a novembro de 2016. São Paulo e Minas Gerais estão à frente na lista.
Plataformas de perfuração ou de exploração e celulose foram os produtos que mais contribuíram para a queda das exportações gaúchas, enquanto a soja em grão foi o destaque positivo. Segundo o economista do Centro de Indicadores Econômicos e Sociais da FEE, Vinícius Fantinel, "a ausência das exportações de plataformas de perfuração ou de exploração em novembro decorreu das dificuldades encontradas pelo Polo Naval de Rio Grande, que se devem à redução nas encomendas realizadas pelas Petrobrás". Fantinel ainda aponta que a redução nas vendas de celulose derivou da paralisação, entre agosto e novembro de 2017, de uma das plantas da Celulose Riograndense, localizada no município de Guaíba. 
Houve acréscimo no valor exportado dos produtos básicos e redução no caso dos manufaturados e semimanufaturados. As vendas dos produtos básicos totalizaram US$ 750,785 milhões, com incremento de US$ 238,923 milhões (aumento no volume de 125,1% e redução nos preços de 34,8%), respondendo por 52,64% do total exportado no mês de novembro. As exportações dos produtos manufaturados atingiram US$ 594,568 milhões (41,69% da pauta exportadora), com decréscimo de US$ 351,949 milhões (quedas de 24,0% no volume e de 17,3% nos preços). Por último, os semimanufaturados lograram US$ 70,893 milhões (4,97% do total exportado ao exterior), com queda de US$ 68,652 milhões (decréscimo de 84,8% no volume e incremento de 234,8% nos preços).
Os principais produtos exportados pelo Rio Grande do Sul, em novembro, foram soja em grão (19,90%), fumo em folhas (15,27%), carne de frango (6,50%), polímeros (5,59%) e automóveis de passageiros (4,77%). Esses cinco produtos representaram mais da metade (52,02%) do valor exportado total obtido pelo Estado. Em relação aos principais países de destino dos produtos gaúchos, destacaram-se China (30,22%), Argentina (12,22%), Estados Unidos (6,46%), Bélgica (3,67%) e Chile (3,30%), os quais, conjuntamente, foram responsáveis por 55,86% das vendas externas gaúchas no mês.
Nos primeiros onze meses de 2017, as exportações gaúchas totalizaram US$ 16,255 bilhões, exibindo um incremento de US$ 912,372 milhões em relação ao mesmo período de 2016 (+5,95% em valor: +5,99% em volume e -0,04% nos preços), respondendo por 8,12% das exportações nacionais, redução de 0,94 p.p. quando comparado ao mesmo período do ano anterior. No acumulado de 2017, o Rio Grande do Sul foi o 5º maior exportador do Brasil, exibindo menor valor exportado que São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia