Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Conjuntura internacional

Alterada em 13/12 às 19h59min

Presidente do BC dos EUA diz que continua a esperar altas graduais nos juros

A presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), disse há pouco que os participantes do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) avaliam que mudanças no código tributário do país podem provocar algum crescimento, mas ponderou que os efeitos da reforma tributária que sendo discutida no Congresso são incertos. "Diante disso, continuamos a esperar altas graduais dos juros, mesmo com reforma tributária", afirmou.
A dirigente ponderou, no entanto, que no período posterior à reforma tributária pode ser observado aumento da produtividade, do consumo e dos investimentos das empresas.
Yellen falou na sequência da decisão do Fed de elevar taxa dos Fed Funds em 0,25 ponto porcentual, para faixa de 1,25% a 1,50%, em sua última entrevista coletiva como presidente do BC.
A dirigente afirmou que o Fomc continua a acreditar que os EUA chegarão ao nível de inflação desejado pelo BC, de 2% e que a fraqueza dos preços é reflexo de efeitos transitórios, embora tenha dito que as perspectivas econômicas são incertas e que os dirigentes entendem que as forças que direcionam a inflação são "imperfeitas".
A presidente do Fed destacou ainda que as "medidas amplas do mercado de trabalho continuam a se fortalecer". "Os dados de desemprego sugerem apenas pressão modesta para cima nos preços", avaliou.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia