Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Telecomunicações

Notícia da edição impressa de 14/12/2017. Alterada em 13/12 às 22h04min

Oi apresenta à Justiça do Rio de Janeiro novo plano de recuperação judicial

A empresa de telefonia Oi apresentou, na noite de terça-feira, uma nova versão de seu plano de recuperação judicial à 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A proposta será submetida à assembleia geral de credores, marcada para o dia 19 de dezembro. As informações são da Agência Brasil.
O novo plano prevê que os credores possam deter até 75% do capital da companhia e que a dívida financeira caia de R$ 49,4 bilhões para R$ 23,9 bilhões por meio da conversão de parte das obrigações devidas em ações da empresa e em novos títulos de dívida.
"Após mais de 18 meses de negociações com os diversos credores, chegamos a um patamar de conversão de dívida em ações considerando um equilíbrio entre o valor econômico para os acionistas e a recuperação de crédito para os credores. Entendemos que é a equação possível e que viabiliza um plano de negócios sustentável para a companhia e a aprovação do plano em assembleia de credores", disse, em nota, o presidente e diretor jurídico da Oi, Eurico Teles.
Segundo a Oi, o plano também prevê que, após a conversão de dívidas em ações, descontos e alongamentos de prazos, haverá aumento de capital de R$ 4 bilhões em recursos novos, além de R$ 2,5 bilhões de recursos adicionais que podem ser buscados no mercado de capitais.
De acordo com a companhia, o plano apresentado representa uma solução de mercado para a Oi e dá garantia jurídica ao processo de recuperação judicial. Se a proposta for aprovada na assembleia geral de credores, o plano deverá ser homologado na Justiça e seguir os ritos de aprovação em todas as esferas regulatórias competentes.
Em processo de recuperação judicial há mais de um ano, a Oi acumula dívidas de cerca de R$ 64 bilhões.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia