Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Financeiro

13/12/2017 - 11h02min. Alterada em 13/12 às 11h03min

Após superar os 74 mil pontos perto da abertura, Ibovespa desacelera ganhos

O Ibovespa abriu em alta moderada e chegou a superar o nível dos 74 mil pontos ainda em reação à notícia sobre a data do julgamento do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva pelo TRF4. Pouco depois da abertura, entretanto, a valorização das ações perdeu força. Esse comportamento condiz com a forte desaceleração da queda do dólar ante o real no balcão e com a virada da moeda americana no mercado futuro para o lado positivo.
A desaceleração do Ibovespa à vista pode se acentuar, visto que, no mercado futuro, os contratos para dezembro e para fevereiro já zeraram os ganhos e passaram a cair.
Como afirmou um operador do mercado de ações e também o analista chefe da Rico Investimentos, Roberto Indech, o pregão desta quarta será "agitado". "O vencimento do Ibovespa dezembro nesta quarta-feira gera naturalmente uma maior volatilidade", disse o operador.
A persistente valorização do petróleo nos mercados futuros de Londres (ICE) e de Nova York (Nymex) colaboram para a alta da Bolsa. As duas ações da Petrobras sobem neste momento. Os índices acionários futuros de Nova Iorque também estão com variação positiva.
Às 10h51min, o Ibovespa subia 0,31% aos 74.045 pontos. Na máxima, marcou 74.416 pontos em alta de 0,82%. Entre o fechamento de terça e a maior pontuação intraday nesta quarta, o indicador teve uma alta de 602 pontos. A ON da Petrobras subia 0,86%.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia