Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 03 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 04/12/2017. Alterada em 03/12 às 21h27min

Ibovespa sobe 0,41% no dia, mas encerra semana com perda de 2,55%

O primeiro pregão de dezembro foi de instabilidade no mercado brasileiro de ações, apesar do ambiente de escassez de notícias. O Índice Bovespa alterou altas e baixas ao longo de sexta-feira, oscilando em um intervalo significativo, de 984 pontos. Ao final dos negócios, o índice teve alta de 0,41%, aos 72.264 pontos. No acumulado da semana, o índice recuou 2,55%. O volume de negócios somou R$ 7,743 bilhões.
Na análise por ações, um dos destaques de alta ficou com os papéis da Petrobras, que subiram 1,00% (ON) e 1,50% (PN). Eles refletiram principalmente a alta significativa dos preços do petróleo nos futuros de Londres e Nova Iorque. Com o minério e outros metais também valorizados, Vale ON subiu 0,97%. As ações do setor financeiro abandonaram as quedas e deram maior fôlego ao Ibovespa no final do dia. Entre elas, destaque para Banco do Brasil ON ( 2,84%).
Com a reforma da Previdência em compasso de espera, os investidores voltaram as suas atenções para os EUA. Durante o depoimento do antigo conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn, o dólar alcançou o patamar mais baixo do dia, a R$ 3,2490. A leitura do mercado era de que o escândalo poderia atrapalhar a votação da pauta tributária pelo Senado. No entanto indícios de que o governo norte-americano teria conseguido angariar os votos necessários para aprovação da reforma fizeram com que a queda se arrefecesse.
A divisa negociada no balcão à vista encerrou a primeira sessão de dezembro com baixa menos acentuada, a R$ 3,2542. O recuo de 0,49% arrefeceu a alta acumulada da semana, de 0,74%.
Bolsa
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia