Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

música

Notícia da edição impressa de 29/12/2017. Alterada em 28/12 às 16h45min

Um ano para ninguém esquecer

Caroline da Silva, Cristiano Vieira e Paulo Antunes
O ano que termina começou tímido quanto ao tema música - contudo, a partir do segundo semestre, ícones internacionais do rock e do pop apresentaram suas turnês em Porto Alegre, fazendo a alegria de milhares de fãs. A seguir, um resumo dos grandes shows que estiveram por aqui em 2017. Os textos são de Caroline da Silva, Cristiano Vieira e Paulo Antunes, os intrépidos jornalistas que acompanharam os espetáculos.

The Who

Banda correspondeu às expectativas do público no Beira-Rio em setembro

Banda correspondeu às expectativas do público no Beira-Rio em setembro


HITS/DIVULGAÇÃO/JC
Pete Townshend abriu o show do The Who no Anfiteatro Beira-Rio, em 26 de setembro, pedindo desculpas por ter demorado tanto tempo para a banda vir ao País. Quem compareceu ao local não se arrependeu.
Em boa forma e com muito bom humor, Townshend, Roger Daltrey, Zak Starkey e Jon Button, acompanhados de uma grande banda de apoio, fizeram um show de rock enérgico. A apresentação começou com I can't explain e durou exatas duas horas, fechando com Substitute. Coadjuvante de luxo, o Def Lepard foi visto por pouca gente: a banda de hard rock subiu ao palco 15 minutos antes da hora agendada, enquanto muitas pessoas ainda chegavam ao estádio.

Green Day

Em grande show de rock, americanos levantaram a plateia

Em grande show de rock, americanos levantaram a plateia


FREDY VIEIRA/JC
Espremido em uma agenda com megashows de Bon Jovi, Paul McCartney e Coldplay, o Green Day surpreendeu quem compareceu ao Anfiteatro Beira-Rio no dia 7 de outubro: a banda entregou um potente show de rock, animado do início ao fim.
Know your enemy, do disco 21st Century Breakdown, deu a largada para as mais de duas horas de show. Boa parte da performance incrível do Green Day se deve (sem contar o repertório rock com pegada pop) à energia do vocalista Billie Joe. Além das canções, o discurso a favor da tolerância foi ressaltado em diversas ocasiões, destacando a preocupação da banda com o tema.

Paul McCartney

Beatle retornou à capital gaúcha depois de sete anos

Beatle retornou à capital gaúcha depois de sete anos


MARCOS HERMES/DIVULGAÇÃO/JC
A espera de sete anos pelo retorno do eterno Beatle valeu a pena. A apresentação de quase três horas de Paul McCartney, no Estádio Beira-Rio, em 13 de outubro, emocionou as 50 mil pessoas que compareceram ao local.
O repertório dos Beatles, como era de esperar, ocupou a maior parte da apresentação - como as clássicas Yesterday; Love me do; Blackbird; Let it be; e Hey, Jude, entre outras. O vigor e a empatia de Macca, aos 75 anos, impressionaram. Ele conduziu o espetáculo com 35 canções sem desanimar, entremeando expressões em português - como "boa noite, Porto Alegre" ou "tribom" - com hits da carreira solo.

Coldplay

Show da turnê A head full of dreams foi realizado na Arena do Grêmio

Show da turnê A head full of dreams foi realizado na Arena do Grêmio


MARIANA CARLESSO/JC
A produção do quarteto que forma o Coldplay (Chris Martin - vocal, guitarra, teclados, piano e violão; Guy Berryman - baixo e sintetizadores; Jonny Buckland - guitarra e violão; e Will Champion - bateria, percussão e piano) trouxe muitas cores para a Capital dos gaúchos, transformando a Arena do Grêmio, no dia 11 de novembro, em um vibrante caleidoscópio.
O show da turnê A head full of dreams foi pensado nos mínimos detalhes para encantar e se tornar uma experiência completa para ficar na memória dos fãs. A apresentação seguiu quase o mesmo formato e repertório dos shows ocorridos em São Paulo pouco antes. A surpresa foi a antiga Don't panic (2000).

Bon Jovi

Em pouco mais de duas horas, Bon Jovi fez apresentação vibrante em Porto Alegre

Em pouco mais de duas horas, Bon Jovi fez apresentação vibrante em Porto Alegre


FREDY VIEIRA/JC
Jon Bon Jovi e sua banda subiram ao palco do Estádio Beira-Rio pouco antes das 21h30min do dia 19 de setembro, fazendo uma apresentação vibrante. No repertório, poucas canções novas - apenas This house is not for sale, que dá título ao novo álbum da banda e abriu a apresentação, Knockout e a animada Roller coaster. A banda entregou hits em sequência ao longo de pouco mais de duas horas - incluindo seu primeiro sucesso, Runaway (lançado em 1984).
A escolha do repertório privilegiou o lado roqueiro do grupo. Não faltaram sucessos como You give love a bad name, It's my life e uma apresentação catártica de Livin' on a Prayer.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Cultura - Um ano para ninguém esquecer
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

música

Notícia da edição impressa de 29/12/2017. Alterada em 28/12 às 16h45min

Um ano para ninguém esquecer

Caroline da Silva, Cristiano Vieira e Paulo Antunes
O ano que termina começou tímido quanto ao tema música - contudo, a partir do segundo semestre, ícones internacionais do rock e do pop apresentaram suas turnês em Porto Alegre, fazendo a alegria de milhares de fãs. A seguir, um resumo dos grandes shows que estiveram por aqui em 2017. Os textos são de Caroline da Silva, Cristiano Vieira e Paulo Antunes, os intrépidos jornalistas que acompanharam os espetáculos.

The Who

Banda correspondeu às expectativas do público no Beira-Rio em setembro

Banda correspondeu às expectativas do público no Beira-Rio em setembro


HITS/DIVULGAÇÃO/JC
Pete Townshend abriu o show do The Who no Anfiteatro Beira-Rio, em 26 de setembro, pedindo desculpas por ter demorado tanto tempo para a banda vir ao País. Quem compareceu ao local não se arrependeu.
Em boa forma e com muito bom humor, Townshend, Roger Daltrey, Zak Starkey e Jon Button, acompanhados de uma grande banda de apoio, fizeram um show de rock enérgico. A apresentação começou com I can't explain e durou exatas duas horas, fechando com Substitute. Coadjuvante de luxo, o Def Lepard foi visto por pouca gente: a banda de hard rock subiu ao palco 15 minutos antes da hora agendada, enquanto muitas pessoas ainda chegavam ao estádio.

Green Day

Em grande show de rock, americanos levantaram a plateia

Em grande show de rock, americanos levantaram a plateia


FREDY VIEIRA/JC
Espremido em uma agenda com megashows de Bon Jovi, Paul McCartney e Coldplay, o Green Day surpreendeu quem compareceu ao Anfiteatro Beira-Rio no dia 7 de outubro: a banda entregou um potente show de rock, animado do início ao fim.
Know your enemy, do disco 21st Century Breakdown, deu a largada para as mais de duas horas de show. Boa parte da performance incrível do Green Day se deve (sem contar o repertório rock com pegada pop) à energia do vocalista Billie Joe. Além das canções, o discurso a favor da tolerância foi ressaltado em diversas ocasiões, destacando a preocupação da banda com o tema.

Paul McCartney

Beatle retornou à capital gaúcha depois de sete anos

Beatle retornou à capital gaúcha depois de sete anos


MARCOS HERMES/DIVULGAÇÃO/JC
A espera de sete anos pelo retorno do eterno Beatle valeu a pena. A apresentação de quase três horas de Paul McCartney, no Estádio Beira-Rio, em 13 de outubro, emocionou as 50 mil pessoas que compareceram ao local.
O repertório dos Beatles, como era de esperar, ocupou a maior parte da apresentação - como as clássicas Yesterday; Love me do; Blackbird; Let it be; e Hey, Jude, entre outras. O vigor e a empatia de Macca, aos 75 anos, impressionaram. Ele conduziu o espetáculo com 35 canções sem desanimar, entremeando expressões em português - como "boa noite, Porto Alegre" ou "tribom" - com hits da carreira solo.

Coldplay

Show da turnê A head full of dreams foi realizado na Arena do Grêmio

Show da turnê A head full of dreams foi realizado na Arena do Grêmio


MARIANA CARLESSO/JC
A produção do quarteto que forma o Coldplay (Chris Martin - vocal, guitarra, teclados, piano e violão; Guy Berryman - baixo e sintetizadores; Jonny Buckland - guitarra e violão; e Will Champion - bateria, percussão e piano) trouxe muitas cores para a Capital dos gaúchos, transformando a Arena do Grêmio, no dia 11 de novembro, em um vibrante caleidoscópio.
O show da turnê A head full of dreams foi pensado nos mínimos detalhes para encantar e se tornar uma experiência completa para ficar na memória dos fãs. A apresentação seguiu quase o mesmo formato e repertório dos shows ocorridos em São Paulo pouco antes. A surpresa foi a antiga Don't panic (2000).

Bon Jovi

Em pouco mais de duas horas, Bon Jovi fez apresentação vibrante em Porto Alegre

Em pouco mais de duas horas, Bon Jovi fez apresentação vibrante em Porto Alegre


FREDY VIEIRA/JC
Jon Bon Jovi e sua banda subiram ao palco do Estádio Beira-Rio pouco antes das 21h30min do dia 19 de setembro, fazendo uma apresentação vibrante. No repertório, poucas canções novas - apenas This house is not for sale, que dá título ao novo álbum da banda e abriu a apresentação, Knockout e a animada Roller coaster. A banda entregou hits em sequência ao longo de pouco mais de duas horas - incluindo seu primeiro sucesso, Runaway (lançado em 1984).
A escolha do repertório privilegiou o lado roqueiro do grupo. Não faltaram sucessos como You give love a bad name, It's my life e uma apresentação catártica de Livin' on a Prayer.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia