Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Acontece

Notícia da edição impressa de 22/12/2017. Alterada em 21/12 às 16h37min

Exposição na Câmara homenageia ex-vereador e ex-jogador do Inter

Mostra conta com acervo pessoal do homenageado e do Legislativo

Mostra conta com acervo pessoal do homenageado e do Legislativo


HENRIQUE FERREIRA BREGÃO/DIVULGAÇÃO/JC
A exposição sobre Sadi Schwerdt, ex-vereador e ex-jogador que foi capitão do Internacional, fica em cartaz até esta sexta-feira, no saguão do Plenário Otávio Rocha da Câmara Municipal de Porto Alegre (Loureiro da Silva, 255). Com entrada gratuita, a visitação é das 9h às 18h. A mostra foi organizada pelo Memorial da Câmara, com acervo pessoal do homenageado e do Legislativo, tendo apoio do gabinete de Reginaldo Pujol.
Podem ser vistos objetos como uma chuteira em bronze, flâmulas, faixas de campeão de 1969/1970, medalhas, recortes de jornal, documentos, fotografias e originais de importantes leis de sua autoria, como a da criação dos táxis-lotação e a do aumento do número mínimo de passagens escolares nos ônibus da Capital. Neste ano, também foi lançada sua autobiografia, Nosso capitão (Libretos), com preparação de textos e edição de Paulo César Teixeira.
Nascido em 1942 em Arroio dos Ratos, Schwerdt atuou na equipe colorada de 1966 a 1969, época em que o clube construiu o estádio Beira-Rio. Como jogador, foi eleito o melhor lateral-esquerdo do Brasil por duas temporadas. Ele também jogou no Corinthians e no Atlético Paranaense. Aos 29 anos, largou o futebol devido às sequelas de uma fratura de fêmur ocorrida em um acidente de automóvel. O ex-atleta foi vereador pelo MDB de 1973 a 1982. Na primeira eleição, foi o segundo mais votado, atrás somente de Glênio Peres, do mesmo partido.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia