Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 27/12/2017. Alterada em 26/12 às 21h48min

Casuísmo puro, diz Onyx

O deputado federal gaúcho Onyx Lorenzoni (DEM) faz duras críticas ao ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele diz que "o cidadão Gilmar Mendes, do STF, que vive servindo os detentores do poder, hoje, no Brasil, apresentou uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) trazendo para o País a figura do primeiro-ministro, do parlamentarismo". "Por que isso, gente?", questiona o deputado gaúcho. E responde: "porque o ano que vem tem eleição. Isso aqui tem endereço certo. É para tentar tirar do povo brasileiro a esperança verde e amarela que está simbolizada na pré-candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) a presidente da República. É isso, é casuísmo puro", critica Lorenzoni, que lembra também que "o senhor Gilmar Mendes é o mesmo ministro que disse que a Lei da Ficha Limpa foi feita por bêbados; o mesmo ministro que disse que as 10 medidas iriam fazer mal ao Brasil". "Ora, eram para combater a corrupção: as 10 medidas eram para trazer um remédio sistêmico para acabar com essa doença", assinalou.
Medo de 'desentortar' o País
A proposta de Gilmar Mendes, segundo Onyx Lorenzoni, é para alterar a Constituição e não permitir que "o Brasil possa desentortar no ano que vem". A esperança do povo brasileiro, acentua o deputado do DEM, é ter um presidente que seja honesto, patriota, temente a Deus, trabalhador e, acima de tudo, que queira servir o povo. "E não como eles, se servindo do povo." Quem são eles, questiona Lorenzoni, respondendo: "a velha política a quem esse cidadão tanto corteja e tanto protege. Não é isso que o Brasil quer. Pode discutir parlamentarismo depois da posse do novo governo para o Brasil fazer uma transição com tranquilidade, com serenidade para o futuro". 
Ambulâncias para os municípios
A senadora gaúcha Ana Amélia (PP) anuncia que 71 municípios gaúchos estão sendo contemplados, neste final de ano, com recursos para aquisição de ambulâncias, consultórios odontológicos e retroescavadeiras. A verba faz parte de recursos complementares disponibilizado pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Agricultura, destinados aos municípios e encaminhados pela parlamentar gaúcha.
Marketing invasivo
A senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) apresentou, no Senado, projeto que proíbe ao fornecedor de produtos ou serviços promover marketing invasivo reincidente por meio telefônico quando o consumidor recebe, sem solicitar, uma ligação com a propaganda de algum serviço ou produto. Projeto semelhante do senador gaúcho Lasier Martins (PSD) foi aprovado pela Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor, e pode ser encaminhado à Câmara se não houver recurso pela votação no plenário do Senado.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia