Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 12/12/2017. Alterada em 11/12 às 21h16min

Donald Trump

Donald Trump chegou à presidência dos Estados Unidos encarando campanhas sórdidas, acusadoras das mais abomináveis posturas. Enfrentou os globalistas e a mídia controlada por eles. Venceu tudo e todos. Apesar dos esforços em contrário, a situação interna do país vem melhorando. Agora, contudo, penso que Trump está prestes a cometer grave equívoco: estabelecer a embaixada norte-americana em Jerusalém. Num mundo em turbulência, onde grande parte tem como força motriz o terrorismo islâmico, tal fato será o sopro que impulsionará o terror. Jerusalém é uma cidade santa, as três religiões monoteístas, Judaísmo, Cristianismo e Islamismo a veneram, quanto mais ela se mantiver livre e acessível aos três cultos, mais paz teremos no mundo. Não há necessidade de transferência. Presidente Trump, não acenda o estopim que fará o mundo mais instável. (José Maria Rodrigues de Vilhena, engenheiro e consultor)
Previdência
Está mesmo uma novela este assunto da Previdência Social. Claro que ao nivelar servidores públicos e os do INSS, os primeiros não querem. O fato é que a reforma, segundo especialistas, vem com 20 anos de atraso. (Marco Aurélio Menezes, Porto Alegre)
Motociclistas
A divulgação sobre a morte de centenas de motoristas no trânsito do Brasil não surpreende. Afinal, o que os motoqueiros ziguezagueiam entre os veículos, e em velocidade. Logo, qualquer movimento do automóvel à frente deles, que são mais rápidos e ágeis, e temos um acidente. Às vezes, fatal. (Josimar Fagundes, Porto Alegre)
Inspeção veicular
Alegam que a inspeção veicular em carros novos (a partir dos 3 anos da compra) é para "aumentar" a segurança e diminuir acidentes. Se fosse para tal propósito, bastava investir na qualidade da infraestrutura das estradas, educação no trânsito e cobrança nas imperícias. Até parece que carro velho ou mal mantido é o grande causador de acidentes. (Mauro Nadruz, gestor em segurança, analista e professor)
Burocracia
Na propaganda dos Cartórios no Brasil, tem uma frase que afirma "Tabelionato: todo mundo confia". Entretanto, quando o cidadão brasileiro precisa levar um documento, certidão, escritura, cópia com carimbo de qualquer cartório do território nacional para outro tabelionato analisar ou tirar cópia autenticada, o novo cartório não reconhece e não confia nos carimbos e assinaturas do anterior? O cidadão tem que ir ao primeiro, pegar uma certidão com menos de 30 dias, autenticada, para que o documento ou cópia, tenha validade e receptividade. Isso demonstra que nem os cartórios confiam um nos outros. O cidadão fica gastando dinheiro e perdendo tempo. (Ramiro Nunes de Almeida Filho, representante comercial, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Donald Trump - Jornal do Comércio
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 12/12/2017. Alterada em 11/12 às 21h16min

Donald Trump

Donald Trump chegou à presidência dos Estados Unidos encarando campanhas sórdidas, acusadoras das mais abomináveis posturas. Enfrentou os globalistas e a mídia controlada por eles. Venceu tudo e todos. Apesar dos esforços em contrário, a situação interna do país vem melhorando. Agora, contudo, penso que Trump está prestes a cometer grave equívoco: estabelecer a embaixada norte-americana em Jerusalém. Num mundo em turbulência, onde grande parte tem como força motriz o terrorismo islâmico, tal fato será o sopro que impulsionará o terror. Jerusalém é uma cidade santa, as três religiões monoteístas, Judaísmo, Cristianismo e Islamismo a veneram, quanto mais ela se mantiver livre e acessível aos três cultos, mais paz teremos no mundo. Não há necessidade de transferência. Presidente Trump, não acenda o estopim que fará o mundo mais instável. (José Maria Rodrigues de Vilhena, engenheiro e consultor)
Previdência
Está mesmo uma novela este assunto da Previdência Social. Claro que ao nivelar servidores públicos e os do INSS, os primeiros não querem. O fato é que a reforma, segundo especialistas, vem com 20 anos de atraso. (Marco Aurélio Menezes, Porto Alegre)
Motociclistas
A divulgação sobre a morte de centenas de motoristas no trânsito do Brasil não surpreende. Afinal, o que os motoqueiros ziguezagueiam entre os veículos, e em velocidade. Logo, qualquer movimento do automóvel à frente deles, que são mais rápidos e ágeis, e temos um acidente. Às vezes, fatal. (Josimar Fagundes, Porto Alegre)
Inspeção veicular
Alegam que a inspeção veicular em carros novos (a partir dos 3 anos da compra) é para "aumentar" a segurança e diminuir acidentes. Se fosse para tal propósito, bastava investir na qualidade da infraestrutura das estradas, educação no trânsito e cobrança nas imperícias. Até parece que carro velho ou mal mantido é o grande causador de acidentes. (Mauro Nadruz, gestor em segurança, analista e professor)
Burocracia
Na propaganda dos Cartórios no Brasil, tem uma frase que afirma "Tabelionato: todo mundo confia". Entretanto, quando o cidadão brasileiro precisa levar um documento, certidão, escritura, cópia com carimbo de qualquer cartório do território nacional para outro tabelionato analisar ou tirar cópia autenticada, o novo cartório não reconhece e não confia nos carimbos e assinaturas do anterior? O cidadão tem que ir ao primeiro, pegar uma certidão com menos de 30 dias, autenticada, para que o documento ou cópia, tenha validade e receptividade. Isso demonstra que nem os cartórios confiam um nos outros. O cidadão fica gastando dinheiro e perdendo tempo. (Ramiro Nunes de Almeida Filho, representante comercial, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia