Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 07 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 08/12/2017. Alterada em 07/12 às 21h26min

Frases e personagens

Marcelo Portugal

Marcelo Portugal


SILVIO WILLIAMS/ARQUIVO/JC
"O governo do Estado fez bem em não vender as ações do Banrisul. O momento não é propício, e vender ativos para colocar recursos em despesas correntes também não é solução." Marcelo Portugal, economista.
"As ações renderiam R$ 1,8 bilhão, talvez R$ 2 bilhões. Alívio temporário, e, logo adiante, as finanças voltariam ao déficit, com o pagamento da dívida com a União, postergado por liminar." Também Marcelo Portugal.
"O orçamento estadual para 2018 é realista. Apelo aos parlamentares que aprovem a proposta de renegociação da dívida do Estado com a União. Só assim poderemos perseguir a saúde financeira, com a aprovação do projeto de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal." Gabriel Souza (PMDB), líder do governo na Assembleia.
"O governo não está sendo claro com as contas públicas, teve a rejeição da Secretaria do Tesouro Nacional a respeito de 70,2% do Orçamento com gastos de pessoal e serviço da dívida com a União. Fui contra o Orçamento porque o governo vem apresentando números falsos." Pedro Ruas (PSOL), deputado estadual.
"O aumento de ISSQN sobre médicos, advogados e outros profissionais liberais, que se associam para operar a custos menores e, assim, oferecer serviços mais acessíveis, onera a toda a sociedade. Sou contrário a mais este aumento de imposto." Dr. Thiago Duarte (DEM), vereador de Porto Alegre.
"Defendo a aprovação da reforma previdenciária no Congresso. É uma votação para a qual convoco todos empresários. Temos que nos mobilizar, falar com os deputados: sua percepção eleitoral não vai melhorar se votar 'não'. Tem que voltar 'sim' e dizer o porquê. Tem que explicar que votou pela aprovação da reforma, principalmente, pela remoção dos privilégios." Paulo Rabello de Castro, presidente do Bndes.
"O alto valor devolvido pelo MPF será utilizado em atividades empresariais e também em iniciativas sociais da estatal." Pedro Pullen Parente, presidente da Petrobras.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia