Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 29/12/2017. Alterada em 28/12 às 21h10min

Frases e personagens

João Bosco Vaz (PDT)

João Bosco Vaz (PDT)


MARCO QUINTANA/JC
"Em meus 20 anos de mandato, presenciei apenas dois vereadores repetindo o cargo de presidente da Câmara Municipal, Sebastião Melo (PMDB) e Cassio Trogildo (PTB). É sinal de competência. Querer ser é uma coisa, chegar é outra." João Bosco Vaz (PDT), vereador de Porto Alegre.
"Cassio Trogildo obteve sucesso na sua gestão, porque soube dizer não quando foi necessário e negociar com todos os atores políticos. É o grande responsável por não ter ocorrido a ruptura institucional com o Executivo em Porto Alegre em 2017." Também João Bosco Vaz.
"Percebemos que o prefeito Marchezan, quando candidato, vendeu para a sociedade um discurso dizendo algo que não se concretizou. Minha bancada encerra o ano decepcionada com a política e com gestores que não concretizam o que dizem." Aldacir Oliboni (PT), vereador.
"O ano foi difícil, mas de muito aprendizado. O ano Legislativo foi marcado por um novo projeto em Porto Alegre, com um governo pautado na reforma administrativa e diversos temas delicados." Mendes Ribeiro Filho (PMDB), vereador de Porto Alegre.
"As Forças Armadas encontraram 10.882 armas e objetos perfurantes em 31 presídios brasileiros vistoriados neste ano. Em média, havia aproximadamente uma arma para cada dois detentos. Como isso foi parar aí dentro, dentro do sistema prisional?" Raul Jungmann (PPS), ministro da Defesa.
"Parece haver uma espécie de acordo tácito, do tipo 'não aperta a gente aqui que a gente não cria problema lá'." Também Raul Jungmann.
"Em 21 de setembro de 1996, a imprensa divulgava um acordo assinado por Antonio Britto (PMDB) e FHC (PSDB) para o Rio Grande liquidar a dívida. De lá para cá, o Estado triplicou a dívida com a União. Estamos até hoje enterrados naquela negociação, e a dívida está sendo pedalada." Stela Farias (PT), deputada estadual.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia