Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 27/12/2017. Alterada em 26/12 às 21h21min

Frases e personagens

Luiz Antônio Bins

Luiz Antônio Bins


JONATHAN HECKLER/JC
"Temos que fechar as contas de dezembro. Hoje ou amanhã, quinta-feira, aí, sim, poderemos anunciar o pagamento dos servidores, que valor será disponibilizado. Antes, fica difícil. Temos que acompanhar o fluxo de caixa." Luiz Antônio Bins, secretário adjunto da Fazenda Estadual.
"Estamos acompanhando, diariamente, as finanças do Estado. Pagamentos prioritários só poderão ser anunciados após sabermos, exatamente, do que dispomos." Também Luiz Antônio Bins.
"A base do governo Sartori não consegue aprovar o Regime Recuperação Fiscal (RRF) na Assembleia Legislativa. O RRF proposto pelo ilegítimo presidente Michel Temer (PMDB) entrega energia, água e sistema financeiro, faz o Rio Grande do Sul renunciar a qualquer cobrança judicial da União, congela investimentos sociais por 20 anos e contrairá dívida que vai para mais do que R$ 100 bilhões." Adão Villaverde (PT), deputado estadual.
"As discrepâncias nos vencimentos dos juízes vêm do desrespeito à Constituição. O que existe está escrito na Constituição, básico dos ministros do Supremo, de R$ 33.763,00, no total. Ou se cumpre ou é a desordem." Eros Grau, ministro aposentado do STF.
"O governo central, que engloba o Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, registrou superávit primário de R$ 1,348 bilhão em novembro. É resultado bem melhor que o esperado e o primeiro no azul para o mês desde 2013. A projeção de analistas era de rombo de R$ 14,6 bilhões no mês." Nota do Tesouro Nacional.
"Com os 12 feriados nacionais e dois estaduais em 2018, dos quais doze em dias úteis com possibilidade de prolongamento, o chamado 'enforcamento', o comércio varejista da cidade do Rio de Janeiro pode perder R$ 4,8 bilhões em receitas de vendas no ano. Cada dia parado representa uma perda média de cerca de R$ 405 milhões." Aldo Gonçalves, presidente do CDL-Rio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia