Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

leitura

Notícia da edição impressa de 26/12/2017. Alterada em 22/12 às 20h44min

Mudanças trabalhistas

O livro esclarece a passagem do Direito do Trabalho Sólido para um Direito do Trabalho Líquido. Parte-se da formação original, examinando os fenômenos, os conceitos e as estratégias oriundas da sociedade de consumidores que produziram as condições para o surgimento do Direito do Trabalho Líquido. São abordadas a revolução tecnológica, a flexibilidade, a desregulação do trabalho, o trabalho temporário, o terceirizado, o intermitente, o teletrabalho, o home office, a inadequação da ação sindical e a proposta do negociado sobre o legislado, apontando consequências e "danos colaterais". Ao final, o autor ressalta a necessidade do estabelecimento de um terceiro e novo compromisso entre o capital e o ser humano na pós-modernidade líquida, para que se obtenha uma boa resolução do conflito entre capitalismo/economia e o Direito do Trabalho no capitalismo líquido.
O Direito do Trabalho Líquido: o Negociado Sobre o Legislado, a Terceirização e o Contrato de Curto Prazo na Sociedade da Modernidade Líquida - Jorge Pinheiro Castelo, LTR, 91 páginas, preço sugerido R$ 60,00
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia