Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 29 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 28/11/2017. Alterada em 29/11 às 01h04min

Vereadores autorizam uso do cartão TRI no BikePoa

Compra de passe com bilhetagem eletrônica pode valer até o fim do ano

Compra de passe com bilhetagem eletrônica pode valer até o fim do ano


FREDY VIEIRA/JC
Carlos Villela, especial para o JC
O plenário da Câmara de Porto Alegre derrubou, na sessão desta segunda-feira, o veto ao projeto que permite o uso do cartão TRI, do transporte público, para retirar bicicletas pelo BikePoa. De autoria do vereador Paulinho Motorista (PSB), o projeto obriga a adequação do sistema de bicicletas à bilhetagem eletrônica municipal, permitindo adquirir os passes diário e mensal.
O argumento do veto é que propostas do tipo seriam prerrogativas do Executivo. Ainda assim, mesmo com indicação do governo para manter o veto, os 20 votos favoráveis derrubaram o impedimento. O projeto foi aprovado em plenário no dia 6 de setembro.
Atualmente, a compra de passes é feita apenas por cartão de crédito, através do site do sistema. Segundo Paulinho, é importante permitir o uso do TRI no sistema, porque muitas pessoas que têm interesse em adquirir passes não têm um cartão de crédito. "É legal uma iniciativa para usar bastante a bicicleta para andar", diz o vereador, "mas é importante também dar condição para as pessoas usarem. Vai beneficiar a população que mais precisa". O vereador também destaca que o projeto pode ajudar a melhorar a saúde da população e contribuir para o combate à poluição.
Hoje, o passe diário custa R$ 5,00, e o mensal é R$ 10,00. A partir da retirada da bicicleta na estação, o usuário pode utilizar o serviço por uma hora, com intervalos obrigatórios de 15 minutos. No primeiro semestre, o prefeito Nelson Marchezan Júnior informou que, dentro da parceria do governo municipal, Itaú Unibanco e a empresa tembici., a frota de bicicletas seria renovada com substituição da infraestrutura das atuais estações. Além disso, a previsão era de elevar a 400 bicicletas em 41 estações até fim de dezembro. 
 
Atualmente, o serviço tem 400 bicicletas, espalhadas entre 41 estações, que serão substituídas e modernizadas até o fim do ano, de acordo com o Itaú, que patrocina o sistema. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Rafael Breda 28/11/2017 09h35min
Matéria esta errada, não existem nem 60 bicicletas disponíveis para uso!!!! Favor atualizar!!