Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

Operação Cadeia Velha

Alterada em 21/11 às 16h21min

Após decisão do TRF2, Albertassi e Melo se apresentam à PF no Rio

Os deputados Paulo Melo e Edson Albertassi, ambos do PMDB, já se apresentaram na sede da Polícia Federal, no centro do Rio. Eles serão levados para o Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito e logo após encaminhados à Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, para cumprir prisão preventiva.
O presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB), ainda é aguardado. Mais cedo, por unanimidade, desembargadores do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), no Rio, determinaram o restabelecimento da prisão do trio. Albertassi se apresentou minutos após a decisão, e Melo por volta das 15h40.
O relator do caso, Abel Gomes, argumentou que o alvará de soltura, determinado em votação entre os deputados da Alerj na última sexta-feira (17) não passou pelo tribunal. "O ato de revogação da prisão só poderia ser expedido por órgão competente, o Judiciário, que portanto somos nós. Por óbvio, só expede alvará de soltura quem expede alvará de prisão", sustentou o desembargador.
Abel Gomes afirmou ainda que a ação foi uma "completa violação à Constituição". "Até este momento, não recebi nenhum ofício da Alerj, sequer citando o resultado da votação para que o TRF pudesse adotar as providências", disse. Outros quatro desembargadores seguiram o entendimento do relator.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia