Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

governo federal

Alterada em 21/11 às 13h59min

Temer diz que há trabalho harmônico e nega divergências em Ministério

Em meio às tratativas para a reforma ministerial e com uma disposição cada vez menor de fazer grandes mudanças de uma só vez no primeiro escalão, o presidente Michel Temer usou um evento no Palácio do Planalto nesta terça-feira para destacar a unidade de sua equipe e fazer elogios aos ministros. "Temos feito um trabalho muito harmônico, muito conjugado, não há divergências em nosso Ministério", afirmou, destacando que essa unidade tem permitido que o governo colha dados "extremamente positivos".
Temer disse ainda que tem muita "alegria" e uma "honra extraordinária" em presidir o país neste momento e voltou a elogiar a sua equipe: "porque estou ancorado em um ministério desse porte, dessa qualidade, e amparado no Congresso Nacional." O presidente aproveitou a fala também para afagar parlamentares, disse que conta com o apoio dos líderes e do Congresso como um todo e voltou a reforçar a necessidade da reforma da Previdência.
Ao destacar o entrosamento com o Congresso, Temer afirmou que só tem conseguido levar medidas adiante com o apoio dos parlamentares e disse que a "reforma da previdência é fundamental sem prejuízo a ninguém". O presidente explicou ainda que a publicidade do governo em relação a Previdência tem como objetivo, na realidade, esclarecer pontos que foram mal explicados na reforma. "Estamos trabalhando agora com o Congresso e a população, não se trata de publicidade e sim de esclarecimento", disse.
Conforme mostrou o Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), disposto a tentar mudar a imagem da reforma da Previdência e convencer a população de que as mudanças nas regras das aposentadorias são fundamentais para a sustentabilidade da economia, o governo investiu R$ 25 milhões em três filmes que começaram a ser veiculados na ultima sexta-feira, 17. O valor está dividido pelas três agências que prestam serviço ao governo. A previsão é que essa fase da campanha dure dez dias.
Temer destacou que o objetivo da reforma é reduzir as desigualdades. "Vamos equiparar o sistema público e privado no tocante ao sistema previdenciário", afirmou, ressaltando que a reforma precisa ser feita agora para evitar um drama no futuro.
No fim do seu discurso, sem dar muitos detalhes, Temer afirmou que o governo também vai fazer uma simplificação tributária e voltou a destacar que tudo isso está sendo feito em harmonia com o Congresso. "Toda vez que eu vejo desarmonia entre os poderes digo que estamos praticando uma desarmonia constitucional", disse.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia