Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Notícia da edição impressa de 09/11/2017. Alterada em 08/11 às 21h35min

Huck encomenda pesquisas para medir chances para presidente

Enquanto se reúne com partidos e apoia movimentos de renovação da política, o apresentador de TV e empresário Luciano Huck encomendou pesquisas para medir suas intenções de voto para presidente da República. Políticos que conversaram com ele nos últimos meses e pessoas próximas dizem que Huck avalia uma candidatura ao Palácio do Planalto.
Políticos próximos do apresentador dizem que ele está cauteloso quanto à divulgação de pretensões eleitorais porque ainda avalia o cenário político, quer evitar o desgaste de um lançamento antecipado, e também porque pretende manter, por enquanto, seu programa de TV. Huck cogita se filiar ao PPS, ao DEM ou à Rede. "Ele vem demonstrando disposição de ser candidato", afirmou uma liderança do DEM.
Huck se reuniu, há cerca de dois meses, com Marina Silva, porta-voz nacional e principal nome da Rede Sustentabilidade, e, há cerca de 10 dias, com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que vem sendo cortejado por diferentes partidos para ser candidato ou compor uma chapa presidencial como vice.
O apresentador também já se reuniu pelo menos duas vezes com o PPS, que tem aberto espaço para candidaturas do Agora e do RenovaBR - movimentos de formação de novas lideranças políticas apoiados por Huck. E Luciano Huck chegou a conversar algumas vezes, no início do ano, com João Amoêdo, fundador do Novo.
Entusiastas de uma candidatura do apresentador defendem que ele seria uma solução de centro, em meio à polarização política. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que vem adotando um discurso mais de esquerda, tem liderado as pesquisas de intenção de voto, seguido do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que se coloca como um representante da direita.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia