Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 16/11/2017. Alterada em 15/11 às 19h30min

Um novo tempo de verdades em Porto Alegre

Moisés Barboza
A administração do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), está sendo vítima de ataques diários de setores e partidos que estão vendo seus interesses atingidos. Setores que, há muitos anos, estão se beneficiando do poder público em desfavor do restante da população. Falo especialmente dos representantes dos funcionários públicos da Capital, que não aceitam a revisão de benefícios concedidos em outras épocas por governos populistas sem compromisso com a responsabilidade fiscal.
Desde o início, o prefeito Marchezan está expondo que o município de Porto Alegre está quebrado. A prefeitura faliu, essa é a verdade. Não há mais dinheiro para investimentos ou concluir, pelo menos, as grandes obras da Copa do Mundo! O dinheiro está indo, na sua grande parte, para o pagamento dos mais de 30 mil. Sim, 30 mil funcionários públicos municipais.
De forma assustadora e crescente, a maior parte do dinheiro da prefeitura vai para o pagamento do funcionalismo e logo atingirá o limite prudencial. Marchezan está fazendo o certo, mostrando que a prefeitura está quebrada desde 2011, quando a despesa ficou maior que a receita. O prefeito mostra aos cidadãos que sua Capital está com cofres raspados e precisa se reinventar, para valer.
Mudar o conjunto de leis que, durante décadas, protegeu e privilegiou setores e partidos políticos em detrimento do interesse da sociedade como um todo é um desafio gigantesco. Sem essas mudanças, o futuro será muito ruim para Porto Alegre.
Vereador de Porto Alegre (PSDB)
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Alvaro Kniestedt 23/11/2017 22h30min
Obs: Segundo o portal Transparência da PMPA, o Município de Porto Alegre conta com o total de 20.170 trabalhadores (contando ativos e inativos). Há um erro na informação de aproximadamente 50% à maior.
Alvaro Kniestedt 22/11/2017 10h53min
Lamentavelmente, a opinião do Vereador, recentemente ofendido pela fala do seu correligionário, está afastada da realidade. Não é o trabalhador Municipário o responsável pela atual situação do município, mas sim os eleitos para a sua gestão. Sugiro a informação como meio de qualificar o debate, ao invés de apontar para repetições não verdadeiras. Colabore com soluções, proponha, trabalhe.