Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

acidente

Alterada em 24/11 às 15h45min

Macri diz que sumiço de submarino exigirá investigação séria e profunda

Folhapress
 O presidente da Argentina, Mauricio Macri, afirmou nesta sexta-feira (24) que o desaparecimento do submarino ARA San Juan vai exigir uma investigação séria e profunda antes que se encontrem os responsáveis.
"Não temos de nos aventurar em apontar os culpados. Isso vai exigir uma investigação séria, profunda, que encontre certezas de por quê aconteceu o que estamos presenciando", afirmou Macri na sede da Marinha, em Buenos Aires.
Segundo Macri, é preciso entender "como um submarino que estava em perfeitas condições aparentemente sofreu essa explosão" - principal hipótese sobre o desaparecimento do San Juan há nove dias. Macri fez um breve pronunciamento após se reunir com o ministro da Defesa e o Estado-Maior Conjunto.
O deslocamento do presidente até a Marinha foi interpretado como um sinal de respaldo do mandatário diante das críticas que a força tem sofrido pela maneira como tem lidado com a crise do submarino. O jornal "Clarín" chegou a dizer na edição desta sexta que o comando da Marinha seria substituído.
Macri reafirmou que as buscas pelo submarino continuam, "com o apoio da comunidade internacional". "Contamos com todos os avanços tecnológicos possíveis. Isso vai fazer com que encontremos o submarino nos próximos dias, certamente." Aos familiares dos tripulantes, deixou uma mensagem: "A dor é muito grande, mas vamos até o fim juntos".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia