Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 30 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

conjuntura

Alterada em 30/11 às 11h48min

IBGE: massa de salários em circulação na economia cresce R$ 7,658 bi em um ano

A massa de salários em circulação na economia cresceu R$ 7,658 bilhões no período de um ano, graças ao aumento no número de pessoas trabalhando. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Na comparação com o trimestre encerrado em julho, a massa de renda real aumentou 1,4% no trimestre terminado em outubro, R$ 2,578 bilhões a mais.
"A alta foi em função de ter tido estabilidade no rendimento com aumento da população ocupada", explicou Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE. "O ponto mais positivo dessa divulgação é a massa ter crescido, porque a massa crescendo tem mais dinheiro circulando no mercado, mais renda, mais gasto, mais consumo. O mercado de trabalho pode se beneficiar, entrar num círculo virtuoso. O ponto negativo é que o crescimento está se dando pela informalidade", completou.
Em um ano, houve criação de 1,662 milhão de novos postos de trabalho. A massa de renda alcançou R$ 189,827 bilhões. A renda média também ficou maior, com alta de 2,5%, para R$ 2.127.
Em relação ao trimestre anterior, houve ligeiro aumento de 0,4% no rendimento médio, movimento considerado pelo IBGE não significativo estatisticamente.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia