Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 30 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 30/11/2017. Alterada em 29/11 às 19h45min

Projeto que altera o Fundoleite é entregue à Assembleia Legislativa

Edegar Pretto (centro) recebeu documento de governo e setor lácteo

Edegar Pretto (centro) recebeu documento de governo e setor lácteo


/CACO ARGEMI/ALRS/JC
O secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, e entidades ligadas ao setor lácteo gaúcho entregaram ontem ao presidente da Assembleia Legislativa, Edegar Pretto, projeto de lei que altera o Fundo de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite (Fundoleite).
As principais alterações presentes na proposta dizem respeito à composição do conselho gestor, os limites para o custeio administrativo do Instituto Gaúcho do leite (10%) e percentuais que serão destinados ao desenvolvimento de projetos (20%) e para a assistência técnica aos produtores (70%). Outra mudança proposta possibilita que qualquer das entidades ligadas ao setor possa apresentar projetos, que serão avaliados e viabilizados a partir da aprovação do conselho (até então somente o Estado possuía essa prerrogativa).
"A aplicabilidade de 70% em assistência técnica aos produtores rurais é fundamental, pois são eles que precisam do suporte técnico para se manterem em sua atividade", pontuou o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios (Sindilat), Alexandre Guerra. O dirigente ainda afirmou que se faz necessário aprovar o projeto na íntegra. "Esse consenso demonstra a vontade que temos de avançar na produção do Estado", acrescentou, ressaltando a importância da proposta para o setor lácteo.
O presidente da Assembleia elogiou o trabalho feito em conjunto pelas entidades. "Sei que não é fácil chegar num consenso assim. A casa é política e precisa de construção política", afirmou Pretto, agradecendo pela presença dos representantes. "Esse setor, em especial, está precisando de unidade", afirmou. O secretário da Agricultura, Ernani Polo, reafirmou que o projeto é resultado de entendimento e união do setor. "A construção política em conjunto é o primeiro passo para fazer enfrentamento às dificuldades da cadeia do leite."
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia