Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 30 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria

Notícia da edição impressa de 30/11/2017. Alterada em 29/11 às 21h13min

Mais de 75% das empresas esperam expansão em 2018

Para o setor industrial do segmento de elétrica e eletrônicos, o ano de 2018, que, para vários outros segmentos da economia, será marcado pelas incertezas decorrentes do processo eleitoral, será de crescimento. Em pesquisa da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) que será divulgada na quinta-feira, 76% das empresas consultadas reportaram expectativa de crescimento do setor.
Ainda com vistas em 2018, 18% dos entrevistados afirmaram sua crença na estabilidade da produção e vendas das suas empresas, e 6% estão preparados para registrar queda em seus balanços. A sondagem ouviu executivos de 100 empresas do setor fabricante de materiais e equipamentos elétricos e eletrônicos no decorrer da primeira quinzena de novembro. Não estão inseridos no contexto do levantamento, portanto, os resultados da Black Friday.
Em uma menor proporção, a sondagem também apontou otimismo para este ano, com 60% das empresas projetando crescimento para 2017 da produção e vendas. Outros 11% disseram esperar que o setor encerre este ano anotando estabilidade, e 29% preveem queda.
Também foi identificado nesta pesquisa que 47% das companhias entrevistadas devem ampliar os investimentos em 2018, 43% planejam manter no mesmo patamar de 2017, e 10% têm expectativa de redução.
De acordo com o presidente da Abinee, Humberto Barbato, o bom momento do setor eletroeletrônico pode ser verificado em outros indicadores. Até outubro, foram gerados mais de 4 mil postos de trabalho pela indústria elétrica e eletrônica.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia