Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Notícia da edição impressa de 28/11/2017. Alterada em 27/11 às 23h28min

Goldfajn destaca oportunidades dos negócios verdes

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou que o Brasil está comprometido com a questão ambiental e o órgão tem estimulado o debate no sistema financeiro nacional, inclusive com ajustes no âmbito regulatório. "O País está empenhado na criação de ambiente propício para o desenvolvimento de oportunidades de negócios verdes, para que possamos transitar para uma economia que usa seus recursos de maneira sustentável. E, tenho certeza, há um enorme potencial de negócios a ser explorado nessa área", destacou ontem durante discurso no Fórum EU-Brasil sobre Negócios Verdes, em São Paulo.
De acordo com Goldfajn, o País tem consciência de que a dimensão financeira em torno da questão ambiental é "crucial" e, por isso, o BC tem interagido com o setor financeiro, visando à promoção de discussões estratégicas, compartilhando experiências, promovendo o aprimoramento e a capacitação, e ainda provendo diretrizes e realizando ajustes na estrutura regulatória.
"Além de buscar a incorporação desses conceitos sustentáveis nos modelos de negócios, temos também trabalhado visando à implementação de políticas de responsabilidade socioambiental por todas as instituições do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e pelo próprio Banco Central", enfatizou.
O setor financeiro brasileiro, segundo Goldfajn, acolheu a questão ambiental bem como as corporações brasileiras, nas quais a incorporação de aspectos socioambientais nas organizações e nos negócios é um tema em ascensão no Brasil. O BC lançou, em agosto, sua Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA). "Esse quadro de autorregulação contribui para harmonizar diretrizes e consolidar práticas socioambientais de seus signatários, na realização de negócios e nas suas relações com partes interessadas", destacou.
De acordo com o presidente do BC, os investimentos verdes servem como um novo canal para investidores, alinhando-se potencialmente às necessidades do País na melhoria de sua infraestrutura.
Goldfajn destacou ainda a relevância da manutenção de diálogo nas instâncias internacionais. O Banco Central tem acompanhado o grupo de estudos "Green Finance Study Group" no âmbito do G-20, cujos temas prioritários são a aplicação da análise de risco ambiental no setor financeiro e o uso de dados ambientais disponíveis publicamente para análise financeira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia