Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Fraude

Notícia da edição impressa de 28/11/2017. Alterada em 27/11 às 23h29min

Operação da PF e do Cade investiga licitações de saneamento básico

A Operação Vinil, deflagrada pela Polícia Federal (PF) e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) ontem, identificou fraudes em mais de 100 licitações de saneamento básico em 13 estados (Amazonas, Bahia, Maranhão, Paraíba, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Espírito Santo).
A investigação mira crime de formação de cartel por empresas do ramo de conexões de PVC e polipropileno em licitações públicas de obras de infraestrutura em saneamento. "A gente tem provas documentais de que, no ano de 2012, ratearam em torno de R$ 40 milhões entre cada uma delas para se saírem revezadamente vencedoras em licitações nesse ano, para cada empresa", declarou o delegado da PF Claudio Alves Barreiro, coordenador da operação.
"As empresas trabalhavam da seguinte forma: apresentando propostas fictícias ou de cobertura que são propostas, é a forma mais frequente em rigor da implementação desses esquemas de conluio entre concorrentes. Elas faziam também supressão de propostas, propostas rotativas e divisão de mercado", relatou o superintendente-geral do Cade, Alexandre Cordeiro Macedo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia