Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

moedas virtuais

24/11/2017 - 18h51min. Alterada em 24/11 às 18h58min

Banco Central coibirá ilícitos e bolhas no mercado de moedas virtuais, diz Ilan

'Quem comprar essas moedas tem que saber que não há uma regulação por trás', alerta Ilan

'Quem comprar essas moedas tem que saber que não há uma regulação por trás', alerta Ilan


Marcelo Camargo/ABR/Arquivo/JC
O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, disse nesta sexta-feira (24), que a instituição vai coibir ilícitos e bolhas no mercado de moedas virtuais, como os bitcoins. Ele ponderou, contudo, que as tecnologias empregadas nas transações dessas moedas poderão ser utilizadas para outras finalidades no sistema financeiro tradicional.
"É algo que não deveríamos abandonar totalmente. Podemos pegar o que é bom, que é a tecnologia, e usar para outros fins", comentou Ilan Goldfajn, durante evento em São Paulo.
Ele lembrou que, na semana passada, o BC alertou em comunicado que essas moedas não são reguladas e que os ilícitos cometidos por vários instrumentos, inclusive bitcoins, estão sujeitos a punições.
O titular do BC frisou que a instituição se posiciona contra irregularidades, bem como bolhas geradas pela valorização de moedas criptografadas, que não têm garantia. "Quem comprar essas moedas tem que saber que não há uma regulação por trás", alertou.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia