Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

petróleo

22/11/2017 - 10h46min. Alterada em 22/11 às 11h52min

Petrobras protocola documentação para oferta de ações da BR Distribuidora

Oferta está sujeita à concessão dos registros pela CVM e às condições de mercado

Oferta está sujeita à concessão dos registros pela CVM e às condições de mercado


MARCIO ROBERTO/AGÊNCIA PETROBRAS/JC
Agência Brasil
A Petrobras protocolou nesta quarta-feira (22), na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a documentação necessária para a oferta pública de distribuição secundária de ações ordinárias de emissão da Petrobras Distribuidora (BR).
Segundo a nota da estatal, a oferta se deu em cumprimento às exigências expedidas pela pela própria CVM. A companhia informa que divulgou ainda o aviso ao mercado e o prospecto preliminar referentes à oferta, "a ser realizada no Brasil, em mercado de balcão não organizado, nos termos da Instrução da CVM, obedecendo às demais disposições legais aplicáveis, sob a coordenação de instituições financeiras integrantes do sistema de distribuição de valores mobiliários, incluindo esforços de colocação das ações no exterior".
O preço de venda das ações da BR será fixado após a apuração do resultado do procedimento de coleta de intenções de investimento junto a investidores institucionais, procedimento a ser feito no Brasil e no exterior, também de acordo com o disposto da instrução CVM 400 (bookbuilding).
A Petrobras informou ainda que a oferta está sujeita à concessão dos registros pela CVM e às condições de mercado.

IPO poderá render até R$ 7,5 bilhões à Petrobras

A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da BR Distribuidora poderá girar até R$ 7,5 bilhões, se houver demanda para todos os lotes extras e se a ação for precificada no teto da faixa indicativa de preço, que está entre R$ 15 e R$ 19. A Petrobras irá vender entre 25% a 33,75% da companhia, porcentual que dependerá dos lotes que serão vendidos no mercado.
A apresentação aos investidores, o chamado roadshow, começa nesta quarta-feira, 22, e irá até o dia 13 de dezembro, quando a ação será precificada no âmbito da oferta.
A oferta será apenas secundária, ou seja, todo os recursos levantados no IPO irão para o caixa da Petrobras. O lote principal é formado por 291.250.000 ações ordinárias, montante que poderá ser acrescido do lote suplementar, de até 15% do principal, ou 43.687.500 ações. Há ainda o lote adicional, caso haja demanda, de até 20% do lote principal, o que significa até 58.250.000 ações.
As ações da BR serão listadas no Novo Mercado, segmento de mais elevadas práticas de governança corporativa da B3, sob o código BRDT3. A previsão é de que as ações comecem a ser negociadas na B3 no dia 15 de dezembro.
São coordenadores da oferta Citi, Banco do Brasil, Bradesco BBI, Itaú BBA, JPMorgan, Morgan Stanley e Santander. Para o final do ano, são esperados ainda os IPOs do Burger King Brasil e Neoenergia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia