Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 17/11 às 11h01min

Cobre avança em Londres e Nova Iorque com enfraquecimento do dólar

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova Iorque, favorecidos pelo enfraquecimento do dólar ante outras moedas. Por volta das 10h10min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,37%, a US$ 6.779 por tonelada.
Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha alta de 0,28%, a US$ 3,0565 por libra-peso, às 10h46min (de Brasília).
O índice DXY do dólar se enfraquece nos negócios da manhã, após notícia de que membros da campanha do presidente dos EUA, Donald Trump, foram intimados pelo conselheiro especial Robert Mueller, como parte da investigação sobre possível envolvimento da Rússia na campanha eleitoral.
A queda do dólar torna o cobre e outros metais mais atraentes para investidores que utilizam outras divisas.
Entre outros metais básicos na LME, o viés era majoritariamente positivo. O zinco avançava 0,83% no horário indicado acima, a US$ 3.159,00 por tonelada, enquanto o pouco negociado estanho aumentava 0,52%, a US$ 19.445,00 por tonelada, o níquel mostrava alta de 0,97%, a US$ 11,495,00 por tonelada, e o chumbo ganhava 0,79%, a US$ 2.423,00 por tonelada.
Única exceção no mercado inglês, o alumínio caía 0,26%, a US$ 2.106,50 por tonelada. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia