Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 17/11 às 09h56min

Dólar segue em baixa com desempenho fraco no exterior

O dólar oscila com viés de baixa desde a abertura dos negócios desta sexta-feira (17). Os ajustes dão continuidade às perdas da véspera e ocorrem em meio a uma liquidez ainda fraca, às vésperas do feriado de segunda-feira (20).
Os investidores operam de olho no enfraquecimento da moeda americana ante algumas divisas emergentes, como o peso chileno, o peso mexicano e o rand sul africano, além da queda do dólar ante o euro e o iene no exterior, segundo o diretor da Correparti, Jefferson Rugik. 
Nesta quinta-feira (16), o dólar caiu ante o real e outras divisas emergentes, mas subiu em relação às moeda principais, reagindo à aprovação da reforma tributária nos Estados Unidos na Câmara dos Representantes. Nesta madrugada, o projeto de reforma tributária dos senadores também foi aprovado pelo Comitê de Finanças do Senado, por 14 votos favoráveis e 12 contrários.
No entanto, o documento que deve ser levado para apreciação em plenário na próxima semana, conta com uma diferença em relação ao texto aprovado pela Câmara dos Representantes, que prevê o corte de impostos para empresas e pessoas físicas. O projeto dos senadores inclui a revogação de parte do Obamacare, lei de saúde do antigo governo do presidente Barack Obama.
Segundo analistas, a votação no Senado dos EUA deve ser mais difícil do que na Câmara dos Representantes. Pelo menos um republicano, o senador Ron Johnson, já declarou ser contrário à proposta do Comitê e mais cinco senadores do partido ainda não oficializaram o apoio, o que torna incerta a vitória da reforma tributária no Senado, apesar dos republicanos serem a maioria nas duas casas legislativas.
O diretor da Correparti acrescentou que, por enquanto, não houve operação expressiva de ingresso de fluxo cambial no mercado local.
Às 9h30min desta sexta, o dólar à vista caía 0,29%, aos R$ 3,2696. O dólar futuro de dezembro recuava 0,18% neste mesmo horário, aos R$ 3,2735.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia